Isolamento social em Mogi Mirim cai de 55% para 45% em uma semana

O isolamento social em Mogi Mirim durante a quarentena caiu de 55% para 45% em uma semana, de acordo com informações divulgadas pelo Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) do Governo de São Paulo. O Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo considera que a adesão ideal para conter a disseminação da Covid-19 é de 70%.

No entanto, Mogi Mirim ainda não atingiu os 70% de isolamento social em nenhum dia desde o início da quarentena, assim como a grande maioria dos outros 103 municípios monitorados pelo Governo do Estado. O maior índice foi de 62%, no feriado da Sexta-Feira Santa e no dia 29 de março (um domingo). Aos finais de semana, uma média de 60% dos mogimirianos tem ficado em casa.

No último dia 6 de abril, uma segunda-feira, o isolamento social na cidade estava em 55% e foi caindo ao longo da semana, marcada pelo feriado santo da Páscoa e também pelo dia em que as empresas realizam os pagamentos dos funcionários. Uma semana depois, na última segunda-feira, dia 13, chegou aos 45%. Foi o índice mais baixo desde o dia 18 de março.

Em Mogi Guaçu, no mesmo período de uma semana, o isolamento social caiu de 53% para 49%. Em Itapira, os números foram mais estáveis: foram de 54% para 53%. Na terça-feira, 14, dia chuvoso em Mogi Mirim e região, o isolamento social na cidade subiu para 50%, o mesmo índice médio em todo o estado de São Paulo.

COMO FUNCIONA?
A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras.

O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Estado possa consultar informações agregadas sobre deslocamento nos 645 municípios paulistas. Segundo o Governo do Estado, as informações são aglutinadas sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

Isolamento durante os dias úteis caiu em Mogi Mirim (Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Mogi Mirim)


7 comentários:

  1. Mogi Mirim tem apenas dois caso confirmados, desculpa mas estão enfeitando muito esse pavão, afinal no Brasil e no mundo morre muito mais gente de câncer, inclusive de H1N1, e principalmente de fome, portanto não há motivo para esse caos todo, pois as empresas já começaram a demitir, em breve será os comércios locais.

    ResponderExcluir
  2. Acho um exagero tudo isso, se todos se prevenirem da pra liberar o comércio normalmente.

    ResponderExcluir
  3. Exatamente isso, concordo com vcs, absurdo tudo isso

    ResponderExcluir
  4. Acredito que se tem que ficar na dengue está mais visível com vários casos.
    Sem esquecer de fazer precaução em codive 19.

    ResponderExcluir
  5. O que as pessoas não entendem é que o isolamento é parão haver colapso no sistema de saúde.Se todos ficarem doentes ao mesmo tempo e muitos precisarem de atendimento médico de UTI ,não haverá equipamento suficiente. Pessoas que poderiam ter a doença e ser tratadas morrerão por falta de vaga no hospital. O pico da doença foi adiado exatamente por causa do isolamento. E ainda temos dengue, gripes e as outras doenças que continuam a existir. O isolamento é temporário. É questão de pensar no coletivo.

    ResponderExcluir
  6. Tomando os devidos cuidados não há necessidade de isolar 70 por cento da população. Quem tem grana para se manter é fácil falar, e a maioria que é pobre. Já está faltando alimento na mesa.. No

    ResponderExcluir

Scroll to top