!


Copa Rural pode ter finais sem torcida, no Tucurão

Diego Ortiz

Ainda sem uma previsão de data, as finais da Copa Rural Manoel Francisco da Silva “Manezinho” podem ser realizadas com portões fechados, no Estádio Distrital Ângelo Rottoli, o Tucurão. Essa possibilidade é estudada pela Secretaria de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel) da Prefeitura.
Como são aguardadas definições das autoridades de Saúde e dos governos estadual e municipal, o secretário da Sejel, Osvaldo Dovigo, observa não ter uma previsão de quando serão liberados os jogos das competições da Liga de Futebol Amador de Mogi Mirim (Lifamm) ou da Prefeitura, que aguarda para marcar as finais do Rural e as semifinais e decisão da Copa Futsal.

Inicialmente, quando forem retomadas as competições, porém, a tendência é serem realizados jogos com portões fechados. Como a ideia é primeiro finalizar o Rural, a competição teria as finais no Estádio Distrital Ângelo Rottoli, o Tucurão. “A única opção é essa, no sítio, não tem nenhum campo fechado, se for ter a final, se os clubes aceitarem, temos que fazer com portões fechados, no campo do Tucura”, observou, lembrando que, quando houver a possibilidade de retorno, os clubes serão chamados para se manifestarem sobre o tema para haver uma definição.

Em outras ocasiões, as finais da competição já foram realizadas na zona urbana, por motivos de segurança, devido à falta de alambrado para separação da torcida do campo de jogo na zona rural, onde há apenas cordas.

AMADOR
Osvaldo observa que em Mogi Mirim há apenas dois campos, o Estádio Distrital Ângelo Rottoli, o Tucurão, e o Maria Paula, na Vila Dias, onde é possível realizar os jogos sem torcida, com portões fechados, pois em outros, a arquibancada fica na área externa, com acesso pela rua. Desta forma, o número de jogos ficaria limitado, com duas partidas pela manhã e duas à tarde. “É difícil. Santa Cruz é aberto, Lavapés é aberto, Mirante é aberto”, comenta.

Dovigo observa ser necessário esperar, inicialmente, baixar a curva de casos de Covid-19. “Vai depender muito da curva, a cidade estar tranquila, depende de muitas coisas. Não podemos ainda responder. Temos que aguardar junho e julho. Até falei pro pessoal do Amador, temos que aguardar pelo menos mais um mês para começar a pensar em qual data. A curva tem que cair, quando estiver caindo, dá para pensar em alguma coisa, mas está subindo ainda. Como vai pensar em futebol em uma situação dessas, não tem como. Acho que pensar em Amador só depois de agosto”, explica, lembrando não saber se haverá testes para os jogadores. “O futebol profissional é mais fácil, você tem ambulância, os estádios são fechados, fazem testes. No Amador é muito mais difícil começar um campeonato”, comparou.

Porém, o secretário acredita que será possível encerrar o Rural e o Futsal e também realizar o Amador até o final do ano, começando pela Série A e Copa Veterano para depois ocorrerem as outras séries. “Não tem uma data. A prioridade é acabar o Rural, depois vem o Veterano e a Série A”, colocou, admitindo que uma das dificuldades para realizar diversas competições simultaneamente será justamente a carência de campos com portões fechados. “E também não sabemos se vai poder ter futebol, tem que aguardar mesmo”, repetiu, reforçando o discurso cauteloso.

Prefeitura admite não ter previsão de retorno dos campeonatos amadores na cidade (Foto: Nelson Victal do Prado Júnior)'


Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top