!


Covid-19: Mogi Mirim entra na fase amarela

Com a nova classificação do Plano São Paulo, protocolo estadual de reabertura econômica, divulgada pelo governador João Doria (PSDB), Mogi Mirim e demais cidades da região de São João da Boa Vista avançaram da fase 2 (laranja) para a fase 3 (amarela). Com isso, o prefeito Carlos Nelson Bueno (PSDB) assinou na sexta, 7, o decreto 8.205, com a redefinição das regras da quarentena no município.

A medida está publicada no Jornal Oficial de Mogi Mirim. O novo estágio viabiliza algumas flexibilizações nas atividades comerciais não essenciais, como a ampliação do horário de atendimento de comércios, imobiliárias, concessionárias e escritórios a seis horas diárias, bem como o aumento da capacidade permitida a 40% do espaço.

Através de discussões com representantes de entidades comerciais, optou-se pela disposição de horário de funcionamento desses setores do comércio para de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h, e das 9h às 15h aos sábados.

A grande novidade é a reabertura de bares, restaurantes e academias após 136 dias de fechamento. Os estabelecimentos gastronômicos poderão funcionar por seis horas diárias, com capacidade de 40% de lotação, enquanto academias esportivas terão de seguir um protocolo de abertura limitado também a seis horas diárias, mas 30% da capacidade do local.

Bares e restaurantes podem funcionar apenas até as 17h, ficando a cargo do estabelecimento escolher qual a faixa que pretende abrir. Entregas por delivery e pronta-entrega continuam válidas em qualquer horário. De acordo com o Plano São Paulo, a reabertura após às 17h só pode ocorrer depois de a região permanecer por 14 dias na fase amarela.

Academias também têm liberdade para definir qual o período de atendimento, desde que limitado às seis horas pré-definidas, divididas em no máximo três turnos de atuação e com agendamento de horário ao cliente. As aulas prestadas deverão ser praticadas individualmente.

Salões de beleza e barbearias também têm mudanças previstas na forma de atendimento, devendo realizar seus serviços das 13h às 19h e com limitação de presença de clientes a 40% da capacidade do ambiente.

Mesmo com as mudanças, todos os estabelecimentos deverão seguir as regras gerais de contenção à Covid-19 e adaptações no modelo de atuação, priorizando e divulgando canais de atendimento on-line. Além disso, aglomerações continuam proibidas, cabendo aos responsáveis do espaço controlar o fluxo de pessoas.]

Equipamentos de proteção individual devem ser oferecidos a funcionários e clientes deverão usar máscaras ao adentrarem nos ambientes. Materiais de higiene, como álcool em gel, deverão ser disponibilizados a todos.

Todos os estabelecimentos e prestadores de serviço do ramo alimentício autorizados a funcionar precisarão, em até 15 dias, concluir o curso EAD Covid-19 formulado pela Secretaria de Saúde e disposto no site da Prefeitura (mogimirim.sp.gov.br), onde são indicadas todas as especificidades a serem seguidas por empresários em geral para o devido funcionamento de seus negócios, de forma a garantir segurança a empregadores, empregados e clientes.

Após reclassificação de Mogi Mirim e região, prefeito Carlos Nelson Bueno assinou ainda ontem o decreto que flexibiliza quarentena (Foto: Divulgação)

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top