!


FPF confirma Bezinha e Luiz Oliveira garante o Mogi Mirim

Diego Ortiz

Em resposta a um questionamento de A COMARCA, na quinta-feira, a assessoria de comunicação da Federação Paulista de Futebol confirmou que a Segunda Divisão do Campeonato Paulista, a Bezinha, será realizada. Um novo Conselho Técnico será promovido. “A Segunda Divisão está confirmada. Ainda não há uma data para o Conselho”, informou o Diretor de Comunicação, Bernardo Itri.

A participação do Mogi Mirim está confirmada, segundo garantiu o dirigente Luiz Oliveira, que, após decisão favorável do Tribunal de Justiça, teve o caminho aberto para registrar sua reeleição à presidência em cartório. Segundo Luiz, o Conselho será na primeira quinzena de agosto. 

Embora ainda não tenha divulgado nome de jogador algum, Luiz afirmou que o Mogi já tem de 50% a 60% do elenco montado. O dirigente disse que os atletas já estavam treinando cerca de 10 dias antes da suspensão dos treinos em virtude da pandemia e foram realizadas atividades físicas e avaliações. Segundo o dirigente, o time deve ter de 60% a 80% de jogadores locais.

O único nome já revelado é de Ricardo Rosa, o Aguinha, ex-treinador do Guarulhos, time da cidade onde reside Luiz. Segundo Luiz, Rosa será coordenador técnico. “Eu com o Ricardo, estamos estudando uma comissão técnica, só que a comissão não pode ser divulgada neste momento porque está disputando um campeonato regional que não acabou ainda”, disse.

Com cinco rebaixamentos em sua gestão, Luiz coloca o acesso como obrigação. “O Mogi tem a obrigação de subir. É o Mogi e mais um que vai subir. A equipe será montada com esse objetivo, não para só disputar”, garantiu.

Segundo Luiz, não haverá terceirização do futebol, mas pode haver um ou mais parceiros. Em relação a uma parceria com o empresário Márcio Granada, da Granada Eventos, garantiu não haver nenhum acerto oficial. “O clube não vai terceirizar a gestão do futebol, não significa que ela está fechada para uma cogestão ou uma participação seja da Granada ou de qualquer outro parceiro, a gente ainda tá em busca desse parceiro”, declarou.


Clube ainda precisa renovar o AVCB e tem pendências em outros laudos

O Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) do Estádio Vail Chaves venceu ontem e precisa ser renovado para o Mogi Mirim poder disputar o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, a Bezinha. O dirigente Luiz Oliveira garante que a renovação será feita.

O clube também conta com pendências nos laudos de Vigilância Sanitária e de Segurança, o que Luiz também garante que será trabalhado para solucionar.

Inicialmente, o AVCB venceria em 12 de junho. A COMARCA apurou com o Corpo de Bombeiros, porém, que em virtude da pandemia, os AVCBs que expirariam em junho foram automaticamente renovados até 31 de julho. Luiz ainda não tinha essa informação na quarta-feira, ao ser questionado por A COMARCA, e havia dito que não havia sentido renovar o documento antes de definições da Bezinha. Porém, disse que está com a assessoria de um engenheiro para renovar o documento e, como sabia da tendência da competição ocorrer, contou ter iniciado uma tomada de preços e irá realizar a renovação até pelo fato de o AVCB precisar estar pronto para participar do Conselho Técnico. As medidas necessárias para renovação são simples, segundo contou. “Na verdade, precisa ser feita recarga de extintores, essas coisas, o AVCB é muito mais simples do que o laudo de Combate e Prevenção ao Incêndio”, explicou, em referência ao laudo que é válido até 31 de outubro, hoje sem restrições.

Já o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene tem validade até 29 de janeiro de 2021, mas, quando foi aprovado com restrições, em 29 de janeiro de 2020, foi dado um prazo de 120 dias para providências relativas a nove inconformidades encontradas. O prazo para providências já expirou e a Vigilância deve realizar uma nova inspeção no estádio em agosto. “Devido à pandemia, fizemos algumas coisas, por exemplo, questão de cozinha, nós já resolvemos, melhoramos, mas ainda falta cumprir algumas questões daquele laudo. E a gente espera fazer isso até a volta da competição, cumprir o restante”, colocou Luiz.

Já o Laudo de Segurança, com validade até 30 de novembro, emitido em 27 de janeiro pela Polícia Militar, estabeleceu até 30 de maio para o Mogi realizar a pintura dos assentos do estádio devido à ausência de numeração adequada. “A gente pretende concluir todas as observações seja no laudo da Vigilância Sanitária, e também no laudo da Segurança, deixar tudo equacionado. A ideia nossa é fazer uma pintura geral no estádio, estamos discutindo com um parceiro, uma empresa de fornecimento de tinta pra gente fazer esse trabalho, aí não vai só pintar a numeração, vai pintar os portões, as arquibancadas, geral, tudo”, ressaltou.

Luiz contou ter feito melhorias no clube, com reformas nas cozinhas e dormitórios. “Cuidamos do gramado que tava com mais de um metro de altura de sujeira, os vestiários. Estamos fazendo a manutenção periódica do nosso gramado, mas questão estrutural do clube está pronta em termos de departamentos, alojamentos, refeitório, vestiário, tudo isso tá em ordem”, frisou.

Uma novidade foi a mudança de local da sala de imprensa, onde são realizadas entrevistas coletivas. Com a deterioração da sala das proximidades do vestiário, em situação caótica, foi montada uma nova no espaço denominado como Shopping Mogi, que não vinha sendo utilizado com a finalidade da denominação. Segundo Luiz, a novidade foi implantada pelo novo assessor de comunicação, Raoni Zambi, que informou ter assumido a função de forma voluntária. “Ela (a sala) ficará neste local até que se restaure a outra ou por alguma outra oportunidade”, observou Luiz.

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top