!


FPF desmente Luiz e divulga tabela sem o MMEC

Diego Ortiz

A Federação Paulista de Futebol (FPF) desmentiu a afirmação do dirigente Luiz Oliveira de que o Mogi Mirim ainda tinha chances de disputar a Segunda Divisão do Campeonato Paulista, a Bezinha, mesmo com a entidade já tendo divulgado a lista de clubes sem a presença do Sapo. Luiz havia garantido essa possibilidade na semana passada em entrevista para a reportagem de A COMARCA e voltou a falar da hipótese no programa Tocando de Letra, da STV, na noite de segunda-feira. Ontem, a FPF divulgou a tabela, com os 35 clubes divididos em sete grupos de cinco times cada. 

A COMARCA havia questionado a FPF se o Mogi ainda tinha possibilidade de participar caso apresentasse o Termo de Compromisso assinado pelo clube e pelo seu médico assumindo obrigações do Protocolo de Treinos e de Operação de Jogos. “Não é possível”, respondeu o diretor de Comunicação da Federação, Bernardo Itri, na manhã de segunda-feira. 

Na noite de segunda-feira, Luiz colocou a participação do Mogi como algo ainda em aberto, contrariando a versão oficial da Federação, que já havia divulgado a lista dos 35 clubes em seu site na quinta-feira retrasada, dia 27 de agosto. “Ainda estamos discutindo com a Federação se vamos ou não disputar, porque ela impôs algo pra nós. Porque embora eu seja amigo do presidente, eu não aceitei a imposição que foi feita, estamos discutindo ainda, se a imposição cair, o Mogi vai disputar esse ano”, disse Luiz ao Tocando de Letra. 

Ainda no dia 27, Itri havia informado A COMARCA que o motivo do Mogi não estar na lista de clubes era não ter apresentado o Termo de Compromisso. 

Luiz, que vinha representando o Mogi junto à Federação, mesmo sem ter o registro como presidente em cartório e o clube ter sua situação considerada irregular pelo vício de representatividade, havia dito anteriormente que o Termo do Mogi Mirim estava assinado por um médico, que contou chamar Gabriel, mas não ter seu sobrenome no momento. Porém, não concordava em apresentar o Termo à FPF sem saber detalhes do certame. Luiz disse ter feito um pleito à FPF e que, se a resposta fosse favorável, apresentaria o Termo e o Mogi disputaria a competição, hipótese afastada pela entidade. 

Procurado por A COMARCA para abordar a posição da FPF descartando o Sapo, Luiz, enfim, admitiu estar o clube fora da Bezinha, mas disse que a Federação não aceitou o pleito do Mogi, cujo teor não foi revelado pelo dirigente, e que, por este motivo, o clube não irá disputar. 

RECURSO
Eleito presidente para um mandato até o fim de 2019 em assembleia geral extraordinária em que Luiz foi destituído da presidência, em setembro do ano passado, João Bernardi entrou, ontem, com recurso contra a definição do trânsito em julgado de decisão favorável a Luiz publicada pela Corregedoria Geral da Justiça, do Tribunal de Justiça. 

Assinado pelos advogados Alcides Pinto da Silva Júnior e Ernani Gragnanello, o recurso questiona a decisão favorável a Luiz ter transitado em julgado sem respeitar o período para interposição de recurso, apontando que o prazo esgotaria em 7 de setembro. 

No dia 24 de agosto, o juiz assessor da corregedoria, Alberto Pedroso, da Corregedoria Geral da Justiça, do Tribunal de Justiça, comunicou o trânsito em julgado do que foi decidido pelo corregedor geral Ricardo Anafe, que rejeitou o recurso de embargos de declaração impetrado por Bernardi contra a decisão que havia dado provimento ao recurso administrativo de Luiz em pedido para o cancelamento da averbação da ata da assembleia extraordinária que decidiu pela sua destituição.

O cartório aguarda um ofício com a informação sobre a determinação da Corregedoria Geral para cancelar a averbação da ata de destituição. Luiz aguarda o cancelamento desta averbação para poder encaminhar o processo de registro da ata de assembleia de sua reeleição.





Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top