!


Protocolo de Mogi para Covid prevê ivermectina e cloroquina, sob prescrição

Flávio Magalhães

O protocolo desenvolvido pela Prefeitura de Mogi Mirim para tratamento de casos leves e moderados de Covid-19 prevê, em casos específicos e sob prescrição, o uso de medicamentos como hidroxicloroquina, cloroquina, azitromicina e ivermectina. O objetivo é nortear os profissionais médicos da rede pública municipal, ficando a critério de cada um, conforme a avaliação clínica, a conduta a ser tomada.

O documento de 33 páginas elaborado pela Secretaria Municipal de Saúde indica propostas de prescrição de medicamentos para os mais variados casos. De pacientes adultos a pediátricos, incluindo gestantes, e considerando o nível de gravidade dos sintomas. O protocolo também frisa que o tratamento do paciente com Covid-19, ou com suspeita da doença, também é baseado na autonomia do indivíduo, respeitando a soberania do médico, com o objetivo de qualificar a relação médico-paciente e oferecer o melhor tratamento disponível no momento.

Um dos motivos que levaram à elaboração do protocolo são as evidências de uso indiscriminado de alguns medicamentos ainda em fase de testes, sem eficácia comprovada, e que podem levar ao prejuízo da saúde das pessoas. O chamado tratamento precoce não é adotado pela Secretaria de Saúde em Mogi Mirim, segundo apurou A COMARCA, por não ter respaldo técnico nem científico.

REFERÊNCIA
O Protocolo de Manejo Clínico Assistencial e de Tratamento Farmacológico de casos leves e moderados da doença, instituído no município pela Secretaria de Saúde, será utilizado como documento norteador para a elaboração de protocolo de assistência da Covid-19 pelo Departamento Regional de Saúde (DRS) 14 de São João da Boa Vista. No documento estão previstos todos os medicamentos disponíveis atualmente no combate ao novo coronavírus.

Mogi Mirim faz parte da DRS 14, ao lado de outras 19 cidades. A produção do documento contou com a participação dos médicos Denise Vanzella Bulgarelli Rito, Emilio Wacker Junior, João Paulo Grecco e da Coordenação Farmacêutica da Secretaria de Saúde, por meio da farmacêutica Juliana Nunes Garcia.

Reunindo 21 municípios e realizada em 18 de agosto, um encontro regional, por webconferência, serviu como ponto de partida para que a DRS de São João da Boa Vista solicitasse às secretarias municipais a apresentação de propostas para a formulação do documento, com base em informações técnicas e da ciência. O evento contou com a presença de membros do COE Regional, gestores municipais, farmacêuticos e médicos das unidades de Saúde.

Com os projetos em mãos e após análise criteriosa, a DRS 14 solicitou permissão para que o protocolo medicamentoso mogimiriano servisse como base para a elaboração do documento regional.
“Isso representa reconhecimento em âmbito regional e estadual da eficiência da assistência médica e farmacêutica aos pacientes com coronavírus em Mogi Mirim. Com a elaboração do nosso documento norteador, nos tornamos referência no tratamento dos casos leves e moderados de Covid-19. É motivo de muito orgulho”, exaltou o gerente administrativo da Secretaria de Saúde, Leonardo Ferreira da Cunha.

No documento estão previstos todos os medicamentos disponíveis atualmente no combate ao coronavírus (Foto: Divulgação)


2 comentários:

Scroll to top