!


Outubro Rosa: ONG faz entrega de perucas e recebe doações de cabelos

Ana Paula Meneghetti

“Desde 2017, quando perdi meus cabelos na quimioterapia, eu havia apenas tirado as pontinhas duas vezes. Eles cresceram bastante e chegou o dia de desapegar e trazer o sorriso de volta para outra pessoa. O que pode ser o fim e despedida para quem corta, é o recomeço para alguém que não tem cabelos”, declarou Ana Paula Scramim de Freitas, em uma publicação na sua página pessoal do Facebook.

Ana recebeu o primeiro diagnóstico, de câncer de mama, em novembro de 2016. Desde então, a doença mudou totalmente sua relação com a vida. Idealizadora do projeto “Missão – Exemplo de vida”, para o Outubro Rosa deste ano, ela se engajou na causa de trazer o Banco de Perucas Móvel da Organização Não Governamental (ONG) Cabelegria, com sede em São Paulo, capital, para Mogi Mirim.

Na última sexta, das 10h às 17h, a Cabelegria fez a entrega de 12 perucas e também recebeu mais de 80 doações de cabelos. A ação, gratuita, alcançou mulheres do município e região, que comprovadamente estão em tratamento oncológico, ou outro que leve à queda de cabelo, e foi promovida no espaço da loja de decoração It Home Decor, localizada à Avenida Professor Adib Chaib, na região central. A iniciativa também contou com a colaboração de cinco cabeleireiros da cidade: Rangel Goes, Rogério Abbiati, Adriana Telles, Douglas Galvão e Gheuri Zangelmi, que realizaram os cortes solidários.

Além do recente corte de cabelo para a doação, Ana Paula havia guardado os fios que cortou no final de 2016, antes de iniciar o tratamento de quimioterapia, porque queria doar pessoalmente a uma ONG, junto com um projeto que trouxesse perucas para pessoas em tratamento. Aquele ano ficou marcado, principalmente para uma mulher que passou a festa de Réveillon sem os cabelos. “Esse corte, sim, foi o fim de uma história, pois, ali, eu sofria e temia a perda dos cabelos. Medo do desconhecido. Hoje, foi o corte da vitória e da coragem, em que estarei ajudando alguém a sorrir. Chegou a realização desse sonho e o alcance desse projeto lindo”, comentou Ana.

Equipe do Outubro Rosa 2020: Ana Paula Scramim, Larissa Costa Miranda, Fabiana Barros, Silvia Maretti e uma das presidentes da Cabelegria, Mariana Robrahn (Foto: Mariana Carvalho)



Sonho, que se sonha junto, vira realidade

Além de todo empenho de Ana Paula e da solidariedade dos cabeleireiros, esse sonho só foi possível porque outras pessoas também se sensibilizaram e abraçaram a ideia. Ao participar do projeto Transforme (transformando dores em aprendizados), uma outra iniciativa de conscientização envolvendo o Outubro Rosa, lançada pela marca Larastore.br, Ana Paula entrou em contato com a proprietária da Lara Store, Larissa Costa Miranda, que se prontificou em vender lenços de seda e reverter toda a renda para financiar a vinda da ONG. “Então, no evento promovido pela Lara, conheci a Fabiana Faita Barros, que ofereceu o espaço da loja It Home Decor para receber as pacientes e o studio de perucas. E a Silvia Maretti, sócia da Fabiana na loja, também abraçou a ação”, explicou Ana. No Transforme, Ana e outras mulheres convidadas relatam, em vídeos, histórias de força e superação relacionadas ao câncer.

A ação de ontem ainda contou com o patrocínio total da Grazing Table Gourmet e da Vita Suco, empresas responsáveis por fornecer os lanches e sucos. Importante ressaltar que, em razão da pandemia da Covid-19, tudo foi feito com o devido cuidado e seguindo as normas sanitárias. Os alimentos e a bebida foram embalados em porções pequenas e individuais e o acesso ao camarim para a escolha das perucas também ficou restrito aos pacientes, além do uso de máscara facial e do álcool em gel.

A boa notícia, para quem perdeu a oportunidade de colaborar, é que a ONG Cabelegria deixará Mogi Mirim (a loja It Home Decor) como ponto de coleta para as próximas doações.

A ONG Cabelegria 
Fundada em outubro de 2013 pelas amigas Mariana Robrahn e Mylene Duarte, a Cabelegria é uma ONG que arrecada cabelos, confecciona e distribui perucas para pacientes com câncer via Correios e por meio de Bancos de Perucas (itinerante e fixos). Todo o processo é gratuito: em nenhum momento os pacientes são onerados. A Cabelegria não exige comprovação de renda, nem qualquer tipo de pagamento pelas peruquinhas. A ONG acredita que a autoestima pode fazer toda a diferença durante o tratamento. Por isso, busca aumentar cada vez mais as doações de perucas para pacientes e expandir o Banco de Perucas para os maiores centros de tratamento oncológico do Brasil. Tem interesse em fazer uma doação ou ajudar de alguma forma? Então, acesse www.cabelegria.org e conheça mais o trabalho da organização. 

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top