!


Composição garantiu Sônia Módena na presidência da Câmara

Flávio Magalhães

Uma composição entre os vereadores Geraldo Bertanha, o Gebê (DEM), e Sônia Módena (Cidadania) definiu a eleição para a Mesa Diretora da Câmara Municipal para o biênio 2021/2022. Vereadora mais votada no pleito de 15 de novembro, Sônia conquistou a presidência do Poder Legislativo, tendo Gebê como vice-presidente.

Antes das eleições para a Mesa Diretora, três candidatos eram vistos como os favoritos para a presidência da Casa de Leis. Gebê foi o primeiro a declarar oficialmente a intenção de disputar o cargo, mas Sônia e Alexandre Cintra (PSDB) também se articulavam nos bastidores. Cinoê Duzo, por sua vez, corria por fora.

Em conversa com a reportagem de A COMARCA, Sônia explicou que, diante de um cenário dividido, procurou alguma composição com os principais concorrentes. Alexandre Cintra optou por manter a candidatura, enquanto Gebê aceitou a aliança e a vice-presidência. Também em entrevista para A COMARCA, o vereador do DEM classificou como “saudável” a negociação. “Não teve toma lá dá cá”, destacou. 

“Eu apoio ela agora e daqui dois anos ela me apoia”, justificou Gebê, fazendo referência à composição da futura Mesa Diretora para o biênio 2023/2024. A aliança deu certo e Sônia foi eleita com 12 votos, inclusive de vereadores eleitos pela coligação do prefeito Paulo Silva (PDT). Alexandre Cintra teve 4 votos: os dos companheiros do PSDB, Magalhães da Potencial e Marcos Gaúcho, além de Tiago Costa (MDB) e do próprio voto. Também candidato, Cinoê teve apenas o próprio voto.

Praticamente o mesmo grupo que elegeu Sônia presidente e Gebê como vice definiu os demais cargos da Mesa Diretora. Dirceu Paulino (SD) será o segundo vice-presidente. Robertinho Tavares (PL) foi eleito secretário, enquanto Lúcia Tenório (Cidadania) foi escolhida como segunda secretária.

Vereadora mais votada em novembro, Sônia presidiu a sessão de posse e, em seguida, foi eleita presidente da Casa de Leis (Foto: Silveira Jr./A COMARCA)


1 comentários:

  1. Prezado Flávio,
    O termo "toma lá, dá cá" está explícito na sequência do parágrafo, "... daqui dois anos, a vereadora me apoia na eleição da próxima composição da mesa diretora..." De qualquer forma, analisando os nomes, Robertinho deveria ser o nome de consenso, para a presidência da Câmara de Vereadores, dado que é o mais experiente em legislaturas e, no trato com o Executivo. Sobre a Sônia Módena, pesa a inexperiência relativa ao cargo.

    ResponderExcluir

Scroll to top