!


Munhoz promete verba de R$ 500 mil para assentamento no Horto de Vergel

O deputado estadual Barros Munhoz (PSB) anunciou na última segunda-feira, 8, que pretende destinar, via emenda parlamentar de sua autoria, cerca de R$ 500 mil para o assentamento 12 de Outubro, no Horto de Vergel. A promessa foi feita durante visita do diretor-executivo da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), Marco Silva, ao local. 

Atendendo solicitação feita por lideranças do assentamento, Munhoz destinou, em 2020, verba de R$ 300 mil para a execução do serviço de destocamento. O diretor-executivo do Itesp veio ao município anunciar o resultado final do processo licitatório para escolha da empresa que vai executar o serviço (a CS Terraplanagem, de Mogi Mirim) e mostrar os detalhes do projeto. Os trabalhos devem ter início ainda este mês.

Em sua origem, o Horto de Vergel era uma propriedade da antiga Ferrovias Paulista S/A (Fepasa), utilizada para fornecimento de madeira para confecção dos dormentes que calçavam a linha férrea. Eram cerca de 400 alqueires ocupados com eucalipto da espécie citriodora. Desde o início do assentamento, a retirada dos tocos desses eucaliptos que foram cortados se tornou uma das principais adversidades a serem superadas pelos assentados, dado o custo elevado desse tipo de operação.

O diretor do Itesp agradeceu ao apoio de Munhoz e destacou a importância “social e econômica” que a medida vai trazer aos agricultores. Segundo o coordenador da regional Leste do Itesp (com sede em Araras), Milton Rodrigues da Silva Junior, que fez a explanação de como o plano de manejo será executado, de um total de aproximadamente 800 hectares divididos em 90 lotes, cerca de 200 hectares ainda possuem tocos para serem arrancados. Os recursos alocados e já liberados pelo deputado serão suficientes para executar metade do serviço.

O encontro da última segunda-feira foi realizado em um lote onde se produz variedades frutíferas e atraiu lideranças locais, como o presidente da Associação 12 de Outubro, Walter Durante, e a presidente da Cooperativa dos Agricultores e Agricultoras de Vergel (Copergel), Rosiane Benedito. Destaque ainda para as presenças de Elaine Rose Dias Fernandes (responsável do órgão pelo atendimento aos assentados) e do engenheiro agrônomo Luís de Sá, dos quadros da Coordenadoria Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo.

PRIORIDADES
No encontro com as lideranças do assentamento e técnicos do Itesp, Barros Munhoz solicitou ainda que fossem elencadas outras prioridades, com a intenção de direcionar de forma prática a totalidade dos recursos que prometeu liberar ainda este ano. 

O principal problema levantado foi a carência de água em uma parte das propriedades, questão que pode ser solucionada com utilização de um tanque localizado no assentamento. Os participantes reclamaram ainda da ausência de medidas de combate a incêndios nas propriedades, da má conservação das estradas que servem o local e até uma escola de ensino fundamental.


Técnico do Itesp mostra detalhes do plano de erradicação que terá necessidade de novo aporte de recursos (Foto: Fernando Gasparini)


Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top