!


Paulo Silva agora admite participar de consórcio para compra de vacinas

O prefeito Paulo Silva (PDT) confirmou que o município vai integrar o consórcio formado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), com o objetivo de comprar vacinas por conta própria, independente do Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde. A declaração do chefe do Executivo mogimiriano foi dada em transmissão ao vivo nas redes sociais, no final da tarde desta terça-feira, 2.

A afirmação contraria um posicionamento anterior da Prefeitura. Na edição impressa de sábado, dia 28, A COMARCA noticiou que a Secretaria Municipal de Saúde não tinha a intenção de comprar vacinas por conta própria. A justificativa era de que o cumprimento do PNI era uma obrigação do Governo Federal e, além disso, Mogi Mirim não possuiria dotação orçamentária suficiente para a aquisição dos imunizantes.

Nesta terça, Paulo Silva reforçou que a responsabilidade pela imunização da população é do Ministério da Saúde e fez críticas à gestão do presidente Jair Bolsonaro. "Como o Governo Federal é negacionista, sempre colocou em segundo plano a vacina, não comprou de diversos laboratórios, estamos com esse problema, o que está levando prefeitos e governadores a tomarem iniciativa própria", disse o prefeito. 

"Em todo país decente, civilizado e organizado é o governo central que compra vacina, estabelece prioridade e distribui para todo o país. Esse é o ideal", frisou ainda. "Se o Governo Federal e o ministro da Saúde não conseguem abastecer o país, acaba acontecendo isso, cada um por si e Deus por todos, é essa balbúrdia", criticou. "Defendo um programa nacional de imunização, mas vou fazer parte da frente de prefeitos, buscando alternativas ao Governo Federal, pelo menos como forma de pressão", reforçou Paulo Silva.

A criação do consórcio para a compra de vacinas contra a Covid-19 já recebeu centenas de adesões desde ontem, dia 1º, início do prazo para manifestação de interesse por parte das prefeituras, que termina na sexta, dia 5. A previsão é que a associação seja constituída legalmente até 22 de março para que possa atuar na aquisição de imunizantes. A cidade de Mogi Guaçu já formalizou oficialmente o interesse em participar do consórcio.

Paulo Silva defende responsabilidade do Governo Federal, mas admite integrar consórcio de prefeitos (Foto: Silveira Jr./Arquivo)

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top