Morre Vadão, o pai do Carrossel Caipira

Diego Ortiz

Criador do Carrossel Caipira, o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, de 63 anos, morreu nesta segunda-feira, vítima de complicações de um câncer. O treinador estava internado, em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A assessoria de imprensa do hospital confirmou o falecimento à reportagem de A COMARCA.

Desde o início de 2020, Vadão tratava da doença, passou por sessões de quimioterapia e teve evoluções no quadro de saúde, mas, recentemente, o quadro se agravou. O tratamento era realizado em Campinas, mas o técnico veio para São Paulo depois de sofrer complicações.

Vadão estava sem emprego desde julho de 2019, quando foi demitido da seleção brasileira feminina, após a Copa do Mundo, em que o Brasil foi eliminado pela França nas oitavas de final.

A carreira de treinador foi iniciada no Mogi Mirim, depois de ter sido preparador físico. A primeira oportunidade como técnico veio em 1991, quando assumiu como interino depois da demissão de Pedro Rocha. Em seguida, Geraldo Duarte chegou para ser o novo treinador, mas a passagem durou pouco e Vadão reassumiu o time até o final do Campeonato Paulista. O ano de 1992 foi o primeiro como treinador efetivado desde o início da temporada e marcou a criação do Carrossel Caipira, com um time responsável por chamar a atenção do país com um sistema tático ousado, com trocas de posições frequente entre os jogadores no esquema 3-5-2, além da revelação de diversos talentos como Válber, Rivaldo, Leto e Capone. Com este time, o Sapo foi campeão do Grupo A-2 da Primeira Divisão do Campeonato Paulista. No mesmo ano, venceu a Copa 90 Anos da Federação Paulista de Futebol. Em 1993, conquistou o Torneio Ricardo Teixeira e foi vice-campeão do Torneio João Havelange.

O treinador permaneceu no Mogi até dezembro de 1994. Em janeiro de 1995, Vadão assumiu o Guarani. A segunda passagem pelo Mogi foi entre maio de 1996 e setembro de 1997. Como preparador físico do Sapo, função em que começou a desempenhar na Portuguesa, em 1983, Vadão teve três passagens. A primeira foi entre 1985 a 1987, época em que o Mogi conquistou o acesso à Primeira Divisão, disputada pela primeira vez pelo clube em 1986. A segunda passagem foi em 1988 e a terceira, de 1989 a 1992. No intervalo destes trabalhos, passou pelo Bragantino, Sporting Barranquila, da Colômbia, e América-SP.

CONQUISTAS
Vadão coleciona conquistas como treinador. Pelo XV de Piracicaba, foi campeão brasileiro da Série C em 1995. Em 2000, foi campeão do Torneio Seletivo para a Libertadores com o Atlético-PR. Em 2001, pelo São Paulo, lançou Kaká para o futebol profissional e conquistou o Rio São Paulo. Em 2007, com o Vitória-BA, garantiu o acesso à Primeira Divisão do Brasileiro. Em 2009, garantiu outro acesso, com o vice da Série B do Brasileiro com o Guarani. Ainda pelo Bugre, foi vice-campeão do Campeonato Paulista em 2012, quando foi eleito o melhor treinador da competição. Uma marca importante é nunca ter sido derrotado em um derby campineiro em nove jogos disputados, cinco pelo Guarani e quatro pela Macaca.  Em 2013, foi campeão catarinense pelo Criciúma.

Em sua primeira passagem pela seleção brasileira feminina, conquistou diversos títulos. Em 2014, faturou a Copa América. Em 2015, foi ouro no Pan-Americano. Conquistou o Torneio Internacional em 2014 e 2015. Em 2016, ano em que a seleção ficou na quarta colocação das Olimpíadas do Rio de Janeiro, ficou no Top 10 da Fifa dos melhores treinadores de Futebol Feminino do Mundo, na sexta colocação. Voltou à seleção em setembro de 2017 e foi demitido após a Copa do Mundo do ano passado. Em 2018, faturou a Copa América e ficou em sétimo no Top 10 da Fifa.

Pela seleção brasileira feminina, conquistou diversos títulos (Foto: Divulgação/CBF)

Editoria:

Com nova frente fria, mínima pode cair para 8° nos próximos dias

Nesta quinta-feira, dia 21, uma nova frente fria deve se formar entre o Sul do Brasil, Uruguai e Argentina, avançando pelo país. Depois das regiões Sul e Sudeste, deve chegar ao Centro-Oeste e Norte do Brasil, o que caracterizará um novo evento de friagem, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTec), do governo federal.

De acordo com o órgão governamental, a frente fria trará chuvas, principalmente para a Região Sul do Brasil, e ventos intensos, associados à baixa pressão. Nas demais regiões, também haverá aumento de nuvens e chuva, porém com menor intensidade. A previsão é de chuva para Mogi Mirim neste sábado, dia 23.

O CPTec frisou ainda que a queda de temperatura associada a esta frente fria será significativa. Em Mogi Mirim, os termômetros podem despencar para 9° no domingo e 8° na segunda-feira. O início da próxima semana deve propiciar condições para a formação de geada na região da Serra da Mantiqueira.

A Defesa Civil do Estado de São Paulo emitiu um alerta de temperaturas baixas entre sábado e segunda-feira. As regiões da Serra da Mantiqueira e Campinas, dentre outras, podem registrar sensação térmica entre 0 e 7º.

Em época de temperaturas baixas, a Defesa Civil ressalta que é importante que crianças e idosos sejam bem agasalhados, pois são os grupos mais suscetíveis. A hidratação é outra preocupação. A orientação é beber água mesmo com menos sede, para evitar ressecamento de pele e lábios.

Sensação térmica pode ficar entre 0 e 7º (Foto: Arquivo/A COMARCA)

Editoria:

Ex-vice-prefeito de Conchal é roubado e carro é abandonado em Mogi Mirim

Um roubo acontecido na tarde de quarta-feira, 20, em Conchal, terminou com um carro abandonado em Mogi Mirim e a suspeita de que os bandidos também sejam da cidade. A vítima foi o ex-vice-prefeito de Conchal, Marcos Roberto de Oliveira, o Marquinho Gato Bill.

A casa dele foi invadida, no início da tarde, por três homens armados que renderam a esposa e os filhos. Por volta das 13h, o ex-vice-prefeito voltava para a casa e também foi surpreendido pelos assaltantes, que chegaram em uma picape Chevrolet Montana.

Sempre ameaçando a família, que já estava amarrada, os bandidos vasculharam a casa e roubaram jóias, eletroeletrônicos, seis bicicletas, dentre outros objetos de valor. Pouco depois, o bando fugiu do local levando ainda a perua Hilux SW4 branca de Gato Bill, que serviu para transportar o produto do roubo.

Quando conseguiu se desamarrar, Gato Bill acionou a Guarda Civil Municipal (GCM), que obteve a informação que o bando estava retornando a Mogi Mirim. Iniciou-se, então, um a perseguição pela SP-191. Em um congestionamento causado por obras na pista dessa rodovia, os marginais chegaram a trafegar pelo acostamento para escapar do engarrafamento e despistar os policiais.

Quando chegaram em Mogi Mirim, o sistema de câmeras conhecido como “muralha eletrônica”, da GCM local, detectou a passagem da Hilux e da Montana entrando na cidade pelo trevo da Santa Cruz. Minutos depois, a SW4 de Gato Bill foi encontrada abandonada e vazia, nas proximidades da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Leste.

O ex-vice-prefeito chegou a ir à Central de Polícia Judiciária (CPJ) para lavrar um boletim de ocorrência, mas foi informado que esse documento deveria ser elaborado em Conchal, onde se originou o crime.

Ainda na noite de quarta-feira, uma queixa de furto de uma Montana foi registrada na CPJ de Mogi Mirim. O veículo tem as mesmas características do carro usado no roubo em Conchal. Até o momento, a polícia não tem pistas dos assaltantes.

Marquinho Gato Bill foi eleito vice-prefeito de Conchal em 2012, na chapa de Valdeci Lourenço. Antes disso, exerceu o cargo de vereador no município. Nas eleições de 2016, disputou a prefeitura de Conchal, ficando em terceiro lugar.


Editoria: , ,

Mogi Mirim tem primeira morte por Covid-19; vítima tinha 84 anos

A Prefeitura de Mogi Mirim informou na noite desta quarta-feira, dia 20, a primeira morte em decorrência do novo coronavírus na cidade. A vítima é uma idosa de 84 anos de idade, que estava internada na Santa Casa de Misericórdia desde sábado, dia 16.

A mulher foi diagnosticada com Covid-19 no último dia 12 de maio. A situação clínica da idosa foi agravada em decorrência de comorbidades, segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde. A vítima era residente de uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) do município, que não teve o nome revelado até o momento.

Seguindo os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, a Vigilância em Saúde realiza todas as recomendações às ILPIs referentes ao procedimento do enterro, dentre as quais, a entrega uma nota técnica regulamentada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desde o início dos casos de Covid-19 no Brasil. Seguindo o protocolo, não haverá velório.


Editoria:

Com 60 casos, Mogi Guaçu tem 4ª morte por Covid-19

Mogi Guaçu confirmou nesta quarta-feira, dia 20, o quarto óbito em decorrência da Covid-19 no município. A cidade tem, até o momento, 60 casos positivos da doença, segundo informou a Prefeitura em boletim transmitido ao vivo no início da noite.

O paciente que morreu tinha 46 anos de idade e estava internado há mais de um mês em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Na segunda-feira, dia 18, foi registrada a terceira morte da cidade por Covid-19. A vítima era um idoso de 61 anos que estava em casa.

Também nesta quarta foram confirmados três novos casos do novo coronavírus em Mogi Guaçu, elevando para 60 o número de pacientes positivos. Deste total, 42 já se recuperaram. Outros 11 pacientes estão em isolamento domiciliar. Há dois internados em enfermaria e um em UTI.

Existem ainda 31 pacientes aguardando o resultado do exame e outros 194 foram descartados. Entre os casos suspeitos, existem 16 em domicílio, 11 internados, dois em UTI e dois óbitos sob investigação.

A secretária municipal de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, voltou a fazer um apelo em favor da quarentena em Mogi Guaçu. "As pessoas estão brincando com fogo", definiu. Dados de terça-feira, dia 19, do Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo apontam que o índice de isolamento na cidade está em 45%, abaixo de Mogi Mirim, que ficou em 48%.

FAKE NEWS
A Prefeitura de Mogi Guaçu também negou a informação de que 11 pessoas de um mesmo estabelecimento comercial foram diagnosticadas com Covid-19.

Secretária de Saúde de Mogi Guaçu reforçou necessidade de isolamento social (Foto: Reprodução/Facebook)

Editoria:

Mulher é morta a tiros no Guaçu; ex-companheira é acusada do crime

Um relacionamento conturbado, de mais de quatro anos, acabou em tragédia na noite de terça-feira, 19, no Jardim Santa Felicidade, na região dos Ypês, Zona Norte de Mogi Guaçu. Daiane Lima, 38, é apontada como autora dos cinco disparos que mataram Juliana Cristina Cairos, 34.

As duas estavam juntas há quatro anos, mas, há 15 dias, em mais uma crise de ciúmes de Daiana, o casal se separou, colocando um ponto final no relacionamento. No entanto, na noite de terça, por volta das 21h30, Daiane chegou em uma Yamaha Factor 125 e parou em frente à casa de Juliana.

Ela chamou a ex-companheira para conversar e Juliana a atendeu do lado de fora da casa de sua família. Poucos minutos mais tarde, familiares de Juliana ouviram disparos do lado de fora. Quando saíram, encontraram-na caída, a poucos metros da casa, situada à Rua da Servidão.

Segundo testemunhas, a vítima levou o primeiro tiro próximo à casa, depois, ao tentar fugir pela rua, gritando por socorro, foi alvejada, pelo menos, mais quatro vezes. O calibre da arma ainda não foi determinado pela perícia. Sabe-se apenas que se trata de um revólver.

Apontada como autora do crime, Daiane fugiu a pé, deixando a moto, a bolsa e o coldre da arma para trás, levando apenas o revólver. Um pastor de uma igreja evangélica do bairro chegou a ver Daiane fugindo, segurando uma arma. "Era um revólver pequeno, de cano curto", recordou-se.

A Guarda Civil Municipal chegou ao local rapidamente e realizou buscas na região, na tentativa de localizar a acusada, que mora em um bairro próximo, mas não a encontrou. A relação entre Juliana e Daiane, de acordo com amigos e familiares da vítima, sempre foi muito turbulenta.

Há cerca de quatro meses, durante uma crise de ciúmes, Daiane teria ateado fogo no carro de Juliana. A polícia segue procurando por Daiane. O corpo de Juliana foi removido para o IML (Instituto Médico Legal).

Crime ocorreu no bairro Santa Felicidade, onde a vítima morava com a família (Foto: Cláudio Henrique Felício)


Editoria: ,

Com o PSL, Aloísio Bueno confirma pré-candidatura a prefeito de Mogi

Flávio Magalhães

Oficializado como presidente do PSL de Mogi Mirim, com o apoio de lideranças da sigla como o senador Major Olímpio e o deputado Júnior Bozzela, o empresário Aloísio Bueno confirmou sua pré-candidatura a prefeito da cidade, numa conversa com a reportagem de A COMARCA.

“Na verdade, quero que todos sejam prefeitos. Se não for com uma proposta de envolver a comunidade, com participação popular, nem serei candidato”, resumiu Aloísio. Nesse sentido, explicou que vai encampar a proposta de criação de uma Comissão Cidadã, com representantes de todas as regiões da cidade, para debater assuntos de interesse do município.

As decisões mais importantes, segundo afirmou, seriam sempre baseadas em estudos de viabilidade e impacto. “E a ideia é notificar Legislativo e Ministério Público também”, complementou o empresário, que afirmou que adotará a proposta de descentralização do governo e “transparência total”.

“Seria uma nova forma de governar, totalmente diferente dessa política analógica, de 30, 40 anos atrás”, defendeu Aloísio, que já foi candidato a deputado estadual nas eleições de 2018, também pelo PSL, recebendo mais de 6,4 mil votos.

O pré-candidato também adiantou alguns pontos principais das propostas que pretende levar para o debate. Entre elas, está a criação de uma Secretaria Municipal de Novos Negócios, uma forte política de preservação ambiental (com a criação de ecopontos na cidade) e ampliar o sistema de monitoramento inteligente e criar uma central que envolva Polícia Militar, Guarda Civil Municipal e Polícia Civil.

Na Saúde, quer propor uma cogestão com a Santa Casa de Misericórdia e trazer um hospital regional para Mogi Mirim, com a ajuda do PSL, a maior bancada da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) e uma das maiores do Congresso Nacional.

POLÍTICA
Sobre o atual cenário eleitoral em Mogi Mirim, Aloísio Bueno criticou o que chamou de “três Ps”: provincianismo, preconceito e perniciosidade. “Estou muito decepcionado com o panorama político da cidade”, afirmou.

Por outro lado, destacou a renovação promovida dentro do PSL, dentre as quais, a criação do PSL Mulher, que incentiva a consciência e participação política feminina. Em Mogi Mirim, esse seguimento será presidido pela advogada Bruna Ravagnani.

Aloísio Bueno tem apoio de lideranças da sigla como o senador Major Olímpio e o deputado Júnior Bozzela (Foto: Divulgação)


Scroll to top