A Comarca

Telefonia e TV a cabo lideram lista de reclamações na Cedecon

A prestação de serviços de telefonia e TV a cabo são as campeãs de reclamações de usuários na Central de Defesa do Consumidor (Cedecon) de Mogi Mirim. A informação é do coordenador de gerência da unidade, Sidnei Antonio Ferreira.

Segundo Sidnei Ferreira, a telefonia móvel é a principal vilã e acumula grande quantidade de reclamações dos usuários. As operadoras oferecem serviços ao consumidor mais barato, mas na maioria das vezes não cumprem com o prometido.

“É comum os clientes receberem ligações das operadoras oferecendo pacotes mais baratos e com vantagens. Mas quando chega a fatura, nem tudo que foi dito ao telefone se confirma no papel”, destaca o coordenador de gerência.

As divergências de informações e valores cobrados causam grande desconforto e dificuldades para os usuários que buscam corrigi-las junto às operadoras das linhas de celulares. Segundo Ferreira, os usuários que procuram resolver diretamente com as operadoras enfrentam dificuldades e quase sempre não conseguem chegar a um acordo satisfatório. “Além da demora na espera, as operadoras tentam contornar a situação. Para cancelar então um serviço é quase impossível”, comenta Ferreira.

O recurso então da maioria dos clientes é recorrer à Cedecon. Neste caso, o coordenador de gerência afirma que a unidade entra em contato com as operadoras e, em menos de 30 dias, tudo é resolvido. “Quando temos as reclamações em mãos, notificamos as operadoras e cobramos uma solução para o cliente. Em menos de 30 dias conseguimos resolver para os usuários”, enfatiza Ferreira.

Telefonia é a vilã no ranking das reclamações da Cedecon, segundo o coordenador Sidnei Ferreira (Marcelo Gotti/A COMARCA)

Além da móvel, a telefonia fixa também causa desconforto aos usuários, mas com menor incidência de reclamações à Cedecon. “Existem operadoras de telefonia fixa que também oferecem serviços aos usuários e não cumprem, mas em menor número”, aponta Ferreira.

Também entre as líderes de reclamações de clientes à Cedecon está a prestação de serviço de TV a cabo. O maior problema encontrado pelos usuários é o oferecimento de serviços das operadoras que não funcionam na área de cobertura do cliente. “O que mais chega de reclamações à Cedecon é que operadoras de TV a cabo oferecem serviços que não funcionam na área de cobertura da casa do cliente. Aí para cancelar ou resolver a situação é uma novela”, brinca Ferreira.

Segundo o coordenador de gerência da Cedecon, a resolução do problema ou cancelamento do serviço contratado pelo usuário só acontece quando o cliente de TV a cabo busca ajuda a unidade de proteção ao consumidor. “Eles dificultam o máximo e até questionam, mas sempre conseguimos chegar a uma solução para o cliente”, pontua Ferreira.

Com o atrativo de garantir um emprego logo após a conclusão dos cursos, as escolas de idiomas e informática também estão no topo do ranking de reclamações de clientes.

Neste caso, Sidnei Ferreira dá uma dica aos clientes que forem contratar este tipo de prestação de serviço. “Tudo o que for falado, tem que constar em contrato. Porque muitas cláusulas entram na defesa do consumidor”, esclarece.

Outra recomendação do coordenador de gerência da Cedecon é que o cliente, antes de assinar qualquer coisa, leia bem o contrato. Caso não tenha conhecimento ou entendimento das cláusulas do contrato, a Cedecon pode oferecer este suporte. “Quem precisar de auxílio para entendimento das cláusulas do contrato, estamos à disposição”, enfatiza Ferreira.

Além do oferecimento de emprego pelas prestadoras de cursos, a discordância do ensino oferecido também entra na lista de reclamações dos clientes. “Quase sempre existe também reclamações sobre o material didático oferecido ou o grau de instrução disponibilizado pelas escolas de idiomas ou informática”, destaca Ferreira.

Anteriormente, lojas e grandes magazines de eletroeletrônicos também entravam na lista de alvos de reclamações de clientes, mas atualmente, as atitudes tomadas pelas unidades, minimizaram as ocorrências de notificações. “Antes, as lojas e magazines esperavam ser notificadas para resolverem o problema do cliente. Atualmente, elas entram em contato com a Cedecon para terem conhecimento de como agir e resolvem no próprio local”, encerra Sidnei Ferreira, coordenador de gerência da Cedecon.

Por Marcelo Gotti
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp