A Comarca

Atraso nos pagamentos foi maior problema da Saúde, diz Joninhas

Há mais de quatro meses a frente da Secretaria de Saúde e prestes a deixar o cargo, Jonas Alves de Araújo Filho, o Joninhas, acredita que sua gestão foi positiva no comando da pasta. No entanto, o grande obstáculo foi a falta de recursos financeiros para o setor, o que ocasionou falta de pagamentos e gerou a maior parte dos transtornos recentes.

Foi um momento tenso, nas palavras do próprio secretário. Os últimos meses foram permeados pela palavra “crise”. Joninhas assumiu a Saúde após a renúncia de Gerson Rossi (PPS) ao mesmo cargo, acentuando o conflito político com o prefeito Gustavo Stupp (PDT), enquanto a secretária de Finanças Elisanita Aparecida de Morais tentava consertar o crescente rombo no orçamento municipal.

A crise política, Joninhas conseguiu contornar. “Peguei a transição de um grupo e tentei manter a mesma equipe e a mesma linha que o Gerson estava fazendo”, afirmou o secretário. Mas o aperto nas contas foi difícil de enfrentar. “Porque se o Financeiro atrasa, não adianta nada”, admite Joninhas, em conversa com A COMARCA.

Para Joninhas, secretário de Saúde, o aperto nas finanças municipais foi o maior obstáculo do setor (Arquivo/A COMARCA)

Nesse setor, o secretário encontrou no Conselho Municipal de Saúde (CMS) um aliado. “O apoio foi essencial”, garantiu Joninhas, atribuindo ao conselho o aumento de R$ 2,4 milhões no orçamento destinado à Saúde. Não foi o ideal, mas o suficiente para que o funcionamento da secretaria se tornasse “menos difícil”.

Hoje, Joninhas se despede da Saúde com um mega mutirão contra a Dengue em andamento, com a entrega de novas ambulâncias ao município e com a recém-inaugurada Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Planalto. Além, claro, de muita experiência. Alguns problemas, como os dos exames laboratoriais, foram resolvidos. Outros, como a abertura do prédio da UPA na zona Leste, continuam sem solução.

O novo secretário de Saúde deverá ser anunciado na semana que vem. É um profissional do próprio setor, escolhido pelos colegas. O nome ainda é mantido em sigilo. “Mas estou passando para as pessoas certas”, garante Joninhas, que deseja: “Espero que as finanças não atrapalhem tanto quanto atrapalharam na minha gestão”.

Por Flávio Magalhães
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp