A Comarca

‘Feirão do Brás’ vai até domingo com aval de juiz

O popular “Feirão do Brás” funciona até amanhã, 08, em um barracão na Avenida da Saudade, 711, em sua segunda edição em dois meses. A Prefeitura tentou barrar o evento, mas o juiz Emerson Gomes de Queiroz Coutinho concedeu um mandado de segurança liminar em favor do organizador do Feirão.

“A Lei Orgânica de Mogi Mirim permite que eu faça a feira quantas vezes eu quiser”, defende o organizador do Feirão, Fábio Beltramin, que garantiu que todos os comerciantes ali instalados com suas bancas possuem CNPJ próprio e emitem nota fiscal, além de permitirem a troca de produtos, incluindo a opção de devolução do dinheiro.

Além disso, Beltramin mostrou à imprensa o certificado emitido pelo Corpo de Bombeiros de Mogi Guaçu, apontando que todas as orientações de segurança estão sendo seguidas. “E tudo o que a Prefeitura me pediu, eu cumpri”, garantiu, dizendo que na feira de setembro gastou R$ 17 mil com a reforma do barracão de 480 metros quadrados da Avenida da Saudade.

A Secretaria Municipal de Planejamento tentou impedir a realização do Feirão do Brás sob o argumento de que o evento realizado em setembro trouxe prejuízo aos comerciantes locais. Beltramin contestou essa informação. “Quem compra no Centro da cidade não compra em bairro e vice-versa”, justificou.

O organizador do Feirão também reagiu às tentativas da Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim (Acimm) e Sindicato do Comércio Varejista (Sicovamm) de barrar o evento. “Eles não querem? Então me paguem R$ 150 mil de indenização judicial, que eu vou repassar integralmente para a Santa Casa daqui”, disse.

As entidades que representam os comerciantes pressionaram os vereadores locais a aprovar uma lei que restrinja esse tipo de feira itinerante. Segundo a Acimm, Mogi Mirim é a única cidade da Baixa Mogiana que não possui uma lei do tipo. Os esforços para que a Câmara encampasse uma legislação mais rígida foram em vão.

Já há alguns anos, verifica-se o crescimento das chamadas feiras itinerantes, que se instalam de maneira transitória nos vários municípios do estado de São Paulo, com o objetivo de realizar um evento de venda de produtos, em um determinado período, e posteriormente deslocam-se para outra localidade.

Segundo o Sicovamm, muitas dessas feiras são instaladas próximas de datas festivas – as que possuem maior movimentação no comércio –, que normalmente servem para equilibrar o fluxo de caixa anual dos comerciantes que possuem diversas obrigações com o pagamento de impostos e demais custos.

Acimm e Sicovamm acreditam que, além dos prejuízos econômicos causados ao comércio local, o crescimento destas feiras itinerantes vem acompanhado de muitas irregularidades, tais como as ligadas à segurança, uma vez que as feiras reúnem grande número de pessoas em locais precários, sem observância das normas impostas pelo Corpo de Bombeiros relativas às instalações elétricas e proteção contra incêndio.

SERVIÇO
O Feirão do Brás ocorre hoje das 09h às 21h e amanhã, domingo, das 09h às 18h, na Avenida da Saudade, 711, bairro do Tucura.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp