A Comarca

Prefeitura vistoria alojamento do Mogi Mirim E. C.

A Prefeitura de Mogi Mirim, por meio da Central de Fiscalização, realizou na quinta-feira, 14, diligência no alojamento do Estádio Vail Chaves. O objetivo foi averiguar o cumprimento às normativas de segurança de estrutura e precaução aos incêndios, prevenindo, assim, riscos à vida e ao meio ambiente. Segundo a Prefeitura, são ações que acontecem com periodicidade no município.

Através da gestão terceirizada, sob o comando de um grupo ligado ao empresário sul-coreano Mario Choi e ao jogador Diego Medeiros da Silva, o Mogi Mirim mantém atletas no estádio, principalmente, das categorias de base. Na ocasião, foi constatada a falta de documentos essenciais para a realização de atividades no local, tais como o alvará de funcionamento e o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

Os responsáveis pelas atividades no clube foram notificados sobre a ausência da documentação. “O estádio está passando por um processo administrativo de averiguação das condições para renovação dos laudos e, consequentemente, do alvará de funcionamento”, disse o empresário Jaime Marcelo.

Marcelo é proprietário da empresa de gestão e consultoria esportiva J Winners. Ela firmou um acordo com a DA Sports Agency, que é o grupo gestor que está comandando o futebol do Mogi Mirim, para prestar serviço de consultoria no clube. E dentre as suas atribuições, está o processo de regularização do estádio Vail Chaves.

“Estamos em sintonia com a Prefeitura para que a gente possa colocar a casa em ordem. Pela primeira vez, vejo a Prefeitura e a gestão trabalhando em prol da instituição Mogi Mirim Esporte Clube. Mas, não é uma situação que iremos resolver do dia para a noite. Mas, estou confiante que em pouco tempo, o estádio estará regularizado”, adiantou.

A diligência da Prefeitura foi acompanhada por profissionais da Vigilância em Saúde e integrantes do Conselho Tutelar, já que há muitos adolescentes entre os alojados no estádio. A documentação dos cerca de 20 atletas que ainda estão alojados está regular e todos frequentavam as unidades escolares da cidade.

São atletas de Mogi Mirim, mas também há garotos de outros Estados e até mesmo de outros países. Os responsáveis pela permanência desses menores no alojamento informaram que já estão realizando a transferência dos adolescentes. “Até resolvermos essas pendências, vamos liberá-los, mas, eles retornarão quando tudo estiver em ordem”, disse.

Caso situação não seja regularizada, alojamento do Mogi Mirim Esporte Clube poderá ser interditado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp