A Comarca

Santa Casa retoma serviços paralisados

Flávio Magalhães

Sob intervenção da Prefeitura desde a semana passada, por ordem da Justiça local, a Santa Casa de Misericórdia retomou nos últimos dias alguns serviços que estavam parados ou funcionando parcialmente. Um deles é o setor de Ortopedia, que, de acordo com informações da Secretaria da Saúde, está em pleno funcionamento, abrangendo desde atendimentos ambulatoriais a procedimentos cirúrgicos.

Já a UTI neonatal, que fechou as portas semanas antes da intervenção, deve voltar a funcionar na próxima segunda-feira, 15. A Prefeitura informou ainda a plena reativação do Pronto Socorro (PS), inclusive com a realização de cirurgias, e a aquisição de remédios e insumos para o funcionamento da UTI adulto.

O hospital também se prepara para retomar as cirurgias eletivas. Atualmente, quatro dos seis centros cirúrgicos estão em funcionamento para as operações de urgência e emergência, sendo duas realizadas por plantão. Essas informações foram repassadas à imprensa e a vereadores da Câmara Municipal durante um balanço apresentado na tarde da última quarta-feira, 10.

Mesmo apresentando um saldo positivo, a secretária de Saúde Flávia Rossi ressaltou que ainda prossegue tomando conhecimento da situação encontrada na Santa Casa, desde as condições financeiras até o levantamento patrimonial e a estrutura dispensada aos funcionários e médicos. A análise é essencial para o completo funcionamento do hospital.

A Prefeitura também tem trabalhado para manter as referências – espécie de credenciamento concedido ao município pelo Estado. A referência estende os atendimentos aos demais municípios nas especialidades de ortopedia, neurologia e nos serviços de nefrologia e UTI neonatal. “Se Mogi Mirim deixar de ser referência, os nossos munícipes passarão a ser atendidos em outras cidades”, explicou Flávia Rossi.

Desde o início da intervenção, a equipe designada pela Prefeitura, mantém contato com o sindicato da categoria de funcionários hospitalares, com a DRS (Divisão Regional de Saúde), seguindo orientação do TCE (Tribunal de Contas do Estado), prestando contas ao MP (Ministério Público) e direcionada pela decisão judicial.

Flávia Rossi apresenta saldo positivo, mas destaca que ações precisam continuar
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp