A Comarca

Estrada da Cachoeira gera temor e reclamações de moradores

Diego Ortiz

A situação da Rodovia Luiz Gonzaga de Amoedo Campos, a estrada da Cachoeira de Cima, com acúmulo de galhos de árvores, gera temor quanto a riscos de acidentes e provoca reclamações de moradores das imediações, onde também funcionam estabelecimentos comerciais como restaurantes.
A estrada também dá acesso ao Aeroporto Municipal. 

Morador do bairro da Cachoeira de Cima, Paulo Sérgio Paiva, reclama que galhos de árvores são deixados na beira da pista, gerando uma série de riscos, e a Prefeitura não promove a retirada. “Tem pessoas de idade que transitam por ali, morador da Cachoeira, pessoas de bicicleta. E ficou sem área de fuga, quando vêm os carros, não têm por onde sair, estão correndo risco de serem atropelados”, apontou.

Galhos prejudicam tráfego de veículos, afetando ainda
mais o espaço (Foto: Divulgação)

Outra preocupação de moradores é com o fato de os galhos existentes na beira da pista, nos dois sentidos, além do mato alto, gerarem risco de acidente entre os veículos que seguem em direção a Mogi Mirim e os que rumam a Mogi Guaçu, pois, em alguns momentos, os motoristas, diante do espaço prejudicado, em uma via já apertada, acabam invadindo o outro lado da rodovia.
Paiva reclama que já foram feitos pedidos à Prefeitura para solucionar a questão, mas sem resultado.

“A gente liga nos órgãos da Prefeitura para estar fazendo essa retirada, não estão fazendo”, lamenta, frisando a importância do bairro. “A Cachoeira é um bairro nobre, os melhores restaurantes estão aqui e isso vem prejudicando até pra quem vem pra cá, pros restaurantes, estão correndo risco, os motéis também. Fica ruim pra todo mundo”, lamenta.

Outra reclamação é para que a Prefeitura promova a fiscalização em relação ao mato de chácaras particulares disponíveis para locação, cujos donos não promovem manutenção.




Prefeitura promete adotar providências para resolver a situação de estrada

Procurada pela reportagem de A COMARCA, a Prefeitura, por intermédio da assessoria de comunicação, informou que a Secretaria de Serviços Municipais tem feito a retirada de galhos e entulhos periodicamente da Rodovia Luiz Gonzaga de Amoedo Campos, mas prometeu novas providências para resolver os problemas na via. 
Segundo a assessoria, embora não conste no calendário de galhos e entulhos da Prefeitura, a coleta acontece todo mês ou quando solicitada. Porém, o depósito de material acontece com frequência no local. Em função da grande quantidade de serviço nos últimos dias, a secretaria informou que pode ter havido acúmulo de material, mas providenciaria a retirada conforme solicitação dos moradores. 
Já a Secretaria de Agricultura informou que iniciaria a manutenção da margem da estrada por meio de roçagem nesta semana, pois executa a tarefa em outras áreas da cidade. 
Em relação ao mato alto nas chácaras existentes na região, a assessoria informou que a Central de Fiscalização da Prefeitura iria realizar uma vistoria no local para notificar os proprietários a promover a limpeza. A partir da data que recebe a notificação, o proprietário tem dez dias para realizá-la. Caso não ocorra, é multado.

O valor da multa é de R$ 2,52 o metro quadrado. Em seguida, a Central emite uma solicitação à Secretaria de Serviços Municiais para que limpe o terreno e o serviço é cobrado do proprietário, com o valor de R$ 2,52 o metro quadrado acrescido de 40% de taxa de administração. A Central também informou que, caso o proprietário ateie fogo no terreno, a multa é cobrada em dobro, pois a prática é ilegal.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp