A Comarca

Mogi terá ‘shopping’ com 50 lojas, supermercado e cinema

A obra em andamento às margens da Rodovia SP-340, nas proximidades da empresa Balestro, na zona Oeste de Mogi Mirim, se trata de um futuro open mall, conceito de empreendimento referente a uma espécie de shopping center em ambiente a céu aberto. A informação foi divulgada pela Prefeitura em material em que é abordada a geração de empregos na cidade nos últimos 12 meses.
O open mall instalado na cidade será um conglomerado comercial com cerca de 50 lojas, rede de cinema e supermercado.

No material divulgado pela Prefeitura, é considerada a geração de cerca de 2 mil empregos nos doze últimos meses em diferentes setores abrangendo indústria, comércio e serviços.

Nesta contagem de empregos, estão relacionadas 780 vagas na rede Atacadão, 350 vagas no GoodBom, 150 na Havan, 200 na Eaton, 80 na  Fundição Regali Brasil, 15 na ADS Disjuntores, 40 na Preformax do Brasil e 45 na Calhas Gasparini. Nos centros de distribuição localizados no Park Log, na Rodovia Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros, são contabilizadas sete vagas na Ingredion e 60 na Supermercados Sempre Vale. Em supermercados, foram consideradas 106 vagas na Spasso Sabores e o aumento de 90 funcionários no número de colaboradores do Lavapés, assim como 13 na ALP Armazéns Gerais.

A Prefeitura também considera investimentos da Cortag Revolution Tools e dos grupos hoteleiros Ibis e Transamérica.

O chefe de Gabinete da Prefeitura, Guto Urbini, considera que esses números apontam para uma nova realidade. “A confiança do empresário voltou na cidade e aumentamos a geração de empregos. Hoje, Mogi é procurada por investidores e a previsão é bastante otimista para esse ano e, principalmente, para 2021 em relação às ofertas de trabalho”, garantiu.

MODERNIDADE
Na avaliação do governo de Carlos Nelson Bueno, a modernização das leis foi fundamental para o fortalecimento das empresas já existentes e para atração de novos investimentos. Entre os pontos importantes, foram listados a isenção do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) nas etapas de construção civil, do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), além das taxas de licença.

Segundo a Secretaria de Finanças da Prefeitura, as medidas não afetaram as contas do município, pois, em contrapartida, os investimentos realizados pelas indústrias serão revertidos em arrecadação futura ultrapassando o valor de R$ 8 milhões.

Uma inovação apontada é que os benefícios também foram estendidos ao comércio e aos prestadores de serviços. Nesta relação, estão incluídos os centros de distribuição e de logísticas de serviços e produtos, além de empresas de tecnologia. Anteriormente, a legislação era restrita às indústrias.

Material divulgado pela Prefeitura também frisou a evolução das finanças nos últimos anos, após a adoção de uma série de ações. De pouco mais de R$ 364 milhões em 2017, a previsão é que os recursos públicos municipais cheguem ao montante de cerca de R$ 493 milhões.

Obras já estão em andamento; empreendimento terá aproximadamente 50 lojas (Foto: A COMARCA)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp