!


Morre, aos 75 anos, o ex-radialista Alair Bellini

Diego Ortiz

Morreu, aos 75 anos, na manhã de quarta-feira, vítima de uma parada cardiorrespiratória, o ex-radialista Alair Alves, o Alair Bellini, de Itapira, com atuação de destaque no meio radiofônico de Mogi Mirim. 

Bellini estava ao lado da esposa Maria Cecília Nascimento Ferraz e de uma filha, que relataram que ele teve uma noite bem dormida, acordou, tomou café e pediu para deitar. Em seguida, a respiração foi se tornando mais lenta e já não respondia mais aos chamados. O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionado e a equipe médica constatou que os sinais vitais eram mínimos. Minutos depois, Bellini faleceu.

Bellini havia deixado de trabalhar em 2010, depois de sofrer seu primeiro AVC (Acidente Vascular Cerebral), mas já estava aposentado desde 2008.

“Meu pai nunca dizia fiquei feliz ou estou feliz. Ele sempre dizia fiquei mais feliz e estou mais feliz, demonstrando que estava sempre em um estado de felicidade permanente. Qualquer pessoa, lugar, momento ou situação deixava ele mais feliz. Um belo legado que deixou pra mim, meus irmãos e seus netos”, destacou o filho, o jornalista Alair Alves Júnior, que seguiu a profissão do pai. 

CARREIRA
Em toda a sua vida, Alair teve a Comunicação como única profissão. O início da atuação em rádio surgiu a partir de um trabalho como locutor em campanha política de Itapira, em 1968. O destaque de sua voz motivou um convite para trabalhar na Rádio Clube, de Itapira. 

Em 1970, trabalhou como noticiarista da Rádio Piratininga, de São Paulo. No mesmo ano, integrou a equipe Os Bons de Bola, da Rádio Cidade, de Mogi Mirim, na cobertura do histórico Sapão 70, que sagrou-se campeão da Primeira Série da Segunda Divisão do Campeonato Paulista. Bellini compôs a equipe ao lado de nomes como Roberto Leite, Dirceu José, Armando Luiz, Orlando Pedro, Moacir Hoedmaker, Amaury Crocci, Aparecido Osti, Djalma Dias, Luiz Gonzaga Boni, Humberto Andrieli, Sidney Barbosa Lima e Olimar Menucci. Além de repórter, Alair também atuava como apresentador na equipe. Era chamado de “um apresentador pra frente”.

Ainda em 1970, Alair chegou a escrever na seção de Esportes de A COMARCA na coluna 10 Notícias, que era escrita a cada semana por um integrante da equipe Os Bons de Bola.  

No ano seguinte, foi repórter e locutor da Educadora Assis. Em 1973, inaugurou a Rádio Difusora de Mogi Guaçu. Entre 1974 e 1988, trabalhou como apresentador e diretor artístico da Radio Educadora Campinas. Nessa época, também trabalhou como repórter esportivo em partidas da Ponte Preta, Guarani e Mogi Mirim Esporte Clube. Trabalhou também como locutor de câmera off na EPTV Campinas.

Entre os anos de 1989 e 2004, foi apresentador e diretor artístico da Rádio Vale Verde, de Mogi Guaçu. De 2004 a 2009, atuou na Rádio Nova Guaçu, veículo on-line. Bellini chegou a se candidatar a vereador em duas oportunidades, em 2004 e 2008, mas não se elegeu.

APELIDO
Alair nasceu na família Alves, mas foi criado pela tia materna Maria Amélia, que era casada com Marcos Bellini. Por este motivo, pela relação com a família, adotou Bellini como apelido. Em 1966, casou-se com Maria Cecília Nascimento Ferraz, com quem teve quatro filhos: Maria Denise, Claudia Maria, Reinaldo e Alair Alves Junior, que também ficou conhecido como Alair Bellini Júnior, herdando o apelido do pai.

Voz descoberta depois de um trabalho como locutor abriu caminho para início de carreira de sucesso (Foto: Arquivo Pessoal)

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top