!


Agentes de trânsito começam a fiscalizar Zona Azul em Mogi Mirim

Os agentes de trânsito do Município começaram a fiscalizar, nesta segunda-feira, 12, as vagas do estacionamento rotativo do Centro de Mogi Mirim, conhecido como Zona Azul. Um decreto  regulamentando a questão foi publicado em 19 de junho, no Jornal Oficial de Mogi Mirim, mas foi na última semana que a informação sobre a mudança na fiscalização foi divulgada aos órgãos de imprensa.

Segundo o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Paulo Roberto Tristão, explicou para a reportagem de A COMARCA, a adequação visa corrigir uma falha no sistema atual da Zona Azul. Atualmente, há uma tolerância de dez minutos para os motoristas adquirem créditos para o estacionamento rotativo e os infratores recebem uma notificação dos monitores da empresa.

No entanto, muitas vezes, os infratores não regularizavam a situação nem eram punidos. “É um modelo que não está de acordo com a legislação de trânsito”, observou Tristão, afirmando que a secretaria estudou juridicamente a questão nos últimos meses. “Os infratores não eram multados, o que tornava o sistema injusto. Não podemos beneficiar infrator”, frisou.

Com a mudança, a tolerância sem crédito no estacionamento rotativo passa a ser de 20 minutos. No entanto, o motorista irregular está sujeito a ser multado por um agente de trânsito, segundo o Código de Trânsito. A infração de Zona Azul é grave, resultando em cinco pontos na Carteira de Habilitação e multa de R$ 195.

“O objetivo não é aumentar arrecadação, mas colocar em ordem a fiscalização e ajudar o comércio com o estacionamento rotativo”, justificou Tristão. Além disso, os agentes de trânsito devem intensificar a fiscalização em vagas específicas, como as exclusivas para idosos, deficientes e para carga e descarga. Sobre esta última, especificamente, o secretário afirmou que há muito desrespeito dos motoristas e muita reclamação dos comerciantes, que precisam do espaço.

Tolerância sem crédito no estacionamento rotativo passa a ser de 20 minutos (Foto: Divulgação/Arquivo)

1 comentários:

Scroll to top