!


Mogi se despede com empate, na lanterna e com pior ataque

Com apenas três jogadores no banco de reservas, devido à saída de diversos atletas do elenco, o Mogi Mirim conseguiu um empate em 1 a 1 diante do Grêmio São-Carlense na tarde deste domingo, no Estádio Municipal Professor Luiz Augusto de Oliveira, o Luizão, em São Carlos. A partida foi válida pela última rodada do Grupo 3 da Segunda Divisão do Campeonato Paulista Sub-23, a Bezinha, o quarto patamar do futebol estadual.

Com o resultado, o Mogi terminou na lanterna do Grupo 3, com seis pontos. Foi a mesma pontuação da Itapirense, que terminou em penúltimo lugar porque levou a melhor em relação ao Sapo no critério de saldo de gols, de sete negativos. O saldo do Mogi foi negativo em oito gols.

O Sapo terminou com a quarta pior campanha da Bezinha, melhor apenas em relação ao Atlético Mogi, lanterna do Grupo 5, sem ponto algum, e Osvaldo Cruz e América, respectivamente, últimos colocados dos Grupos 2 e 1, com cinco pontos cada.

O Mogi Mirim terminou ainda como dono do pior ataque entre os 30 times da Bezinha, com apenas três gols marcados em 10 jogos.

Já classificado, o São-Carlense entrou com um time reserva, sendo que o único titular escalado foi o atacante Eduardo Love. A equipe da casa foi superior na primeira etapa, mas o Mogi Mirim teve mais eficiência e marcou o gol na única oportunidade de perigo criada.

O São-Carlense controlou a primeira metade do primeiro tempo, trocando passes com tranquilidade. Embora tenha sido amplamente superior ao Sapo, as principais oportunidades do São-Carlense foram em arremates de fora da área.

Aos 4 minutos, o São-Carlense levou perigo em cobrança de falta de longa distância de Lauro Neto: a bola quicou na área e passou perto da trave, à esquerda do goleiro Vitor Bonaldo.

Aos 14, Eduardo Love fez jogada individual na área pela esquerda, se livrou de dois marcadores e tocou da linha de fundo para trás: a bola desviou em Alexandre, do Mogi Mirim, e bateu na trave. Dois minutos depois, Jhonatan Lusa arrematou de fora da área e Vitor Bonaldo fez a defesa.

Aos 25 minutos, o São-Carlense quase marcou um golaço. Depois de Gabriel, do Mogi Mirim, dar um chutão para a frente, o zagueiro Henrique dominou a bola com o peito no meio de campo, avançou um pouco à frente do círculo central e disparou um petardo que explodiu no travessão.

Na segunda metade do primeiro tempo, o Mogi passou a se soltar mais e chegar mais ao campo de ataque, mas sem levar perigo até abrir o placar.

Aos 45, no último lance do primeiro tempo, após cruzamento da esquerda, William cabeceou com liberdade, em direção ao chão, e foi certeiro: a bola quicou e entrou no ângulo esquerdo do goleiro Everty: 1 a 0.

O segundo tempo foi equilibrado.    

Logo no primeiro minuto, o Mogi quase ampliou o placar. Após bola da esquerda, William finalizou com perigo, mas o tiro desviou na zaga adversária e tocou na trave direita do goleiro Everty, antes de sair para escanteio.

Aos 11, Eduardo Love foi acionado na direita, invadiu a área e arrematou forte, acertando a trave esquerda de Vitor Bonaldo.

O São-Carlense empatou as 17 minutos, com Lauro Neto, que recebeu assistência de Eduardo Love e, livre de marcação, praticamente da marca do pênalti, concluiu, com tranquilidade, no canto direito de Vitor Bonaldo.

Aos 18, Cesinha recebeu na área e bateu forte e cruzado: Vitor Bonaldo fez grande defesa.

Aos 22, o Mogi teve grande oportunidade de voltar à frente do placar. Em contra-ataque, Carlos roubou a bola de Henrique, invadiu a área e deu belo passe para William, que ficou, livre, de frente para o goleiro Everty, mas finalizou de forma grosseira, por cima do gol.

Com o empate, o Sapo se despediu da competição com a marca de oito jogos consecutivos sem vencer.



Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top