!


Quase 8 mil mogimirianos estão com nome no SCPC

Dados da Central de Recuperação de Crédito (CRC) da Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim (Acimm) apontam que, atualmente, 7.935 clientes estão registrados no Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) em Mogi Mirim. 

Segundo a responsável pela CRC, Lusinês Ubaldini, com a chegada do final do ano, o pagamento de dívidas atrasadas pode crescer cerca de 30%. “As pessoas aproveitam o recebimento do 13º salário para ficarem livres da dívida, e com o CRC isso pode ser feito sem desgastes”, explicou.

O pagamento da segunda parcela do 13º salário deve ser efetuado pelas empresas até o próximo dia 20 de dezembro, e a expectativa é que, com o aumento do volume de dinheiro no mercado, as vendas melhorem e as pendências financeiras sejam quitadas. Nesse sentido, uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontou que 25,5% das famílias brasileiras endividadas estão com as contas em atraso. 

A parcela das famílias que declarou não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso – e que permanecerão inadimplentes – caiu para 10,3%, queda mensal de 0,4 ponto, e anual de 1,3 ponto.

O percentual daquelas que relataram ter dívidas a vencer alcançou 74% em setembro, alta de 1,1 ponto percentual em relação a agosto, e de 6,8 pontos antes setembro de 2020 — o maior incremento anual da série histórica. 

Paulo Medeiros, 52, já faz planos para o recebimento do décimo terceiro e pretende colocar em dia as prestações do imóvel que comprou. Para ele, a pandemia foi um complicador, já que a movimentação do dinheiro cessou durante os últimos dois anos. O jeito foi recorrer ao que tinha guardado para pagar as prestações. “Com a normalização, terei de reunir aquilo que receber para manter as prestações em dia”, disse.

Cleverson da Silva Eustáquio, 36, também acredita que o pagamento do 13º será um ânimo para todos os trabalhadores, pois, nos últimos tempos, ninguém consegue guardar nada e nem pagar as contas em dia. Este será o primeiro 13º salário que ele recebe de sua atual empresa, e espera que seja o primeiro de muitos. Ele garante que primeiro será destinado a pagar as pendências, para só então pensar em poupar algo. Seus cálculos apontam uma sobra de R$ 500, e ele já pensa em pintar a casa, um objetivo desde antes da pandemia.

Luiz Gonzaga Espinosa Ramos, 35, não faz planos, já que todo dinheiro da segunda parcela está comprometido. Ele revela que irá procurar a CRC da Acimm para acertar algumas pendências. “Cada um sabe onde o sapato aperta, mas o certo era que todos quitassem seus compromissos para que a economia girasse”, observou. 

Dicas 

Especialistas da área econômica dão dicas importantes para que os trabalhadores endividados sanem aquilo que devem e evitem entrar no ano novo com pendências.

1. Priorize a dívida principal
Se você possui mais de uma dívida, comece pela principal. As dívidas que geram mais juros devem ser priorizadas, afinal, quanto mais o tempo passa, mais elas aumentam. Cheque especial e cartão de crédito são bons exemplos. Se você possui este tipo de dívida, utilizar o 13º salário para quitá-las é uma boa escolha.

2. Pague contas antecipadamente e garanta desconto
Outras contas que não necessariamente são dívidas, mas que podem ser priorizadas são o IPVA e o IPTU. Essas contas apresentam grandes descontos quando são pagas antes do vencimento. Por isso, que tal investir o 13º nelas? Assim, você economiza e garante que o restante do orçamento possa ser utilizado nas dívidas.

3. Negocie o valor
Dívidas são desvantagens tanto para você quanto para a empresa. É por isso que muitas organizações oferecem descontos e boas oportunidades de pagamento. Não tenha medo de negociar. Se você já está parcelando algum débito, vale também adiantar o pagamento das parcelas. 

4. Atente-se às datas de vencimento
Nem sempre vale a pena esperar o 13º chegar para quitar a conta. A melhor opção é sempre pagar antes da data de vencimento, para que não apareçam mais juros. Se você pode pagar antes de receber o benefício, não espere por ele.

5. Analise calmamente sua situação
Ao receber o 13º, coloque no papel todas as contas que precisam ser quitadas. Estabeleça prioridades e pague primeiro aquelas que estão correndo juros. Se você não possui contas tão urgentes assim, o décimo terceiro salário pode ser investido em outras finalidades. Se você tem outro objetivo além das contas, como um investimento profissional, não hesite em utilizar o benefício para concretizá-lo.

Pesquisa da CNC apontou que 25,5% das famílias brasileiras endividadas estão com as contas em atraso (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top