!


Tio mata sobrinha a facadas e joga o corpo em um canavial, em Itapira

Uma jovem de Itapira, de apenas 14 anos e que estava desaparecida, foi encontrada morta na Zona Rural da cidade vizinha de Itapira, no final da tarde de terça-feira, 21. Sara Beatriz foi assassinada pelo próprio tio, Gabriel Tiago Polettini, um pedreiro de 39 anos.

Ele confessou o crime e disse que matou a sobrinha porque ela estaria zombando dele, chamando-o de “corno”. Dizendo-se humilhado pela adolescente por causa de sua crise matrimonial, Gabriel afirmou que, em determinado momento, se apoderou de uma faca de cozinha e desferiu dois golpes no peito da adolescente.

O desaparecimento da menina foi notado pela mãe dela ainda na tarde de segunda-feira. Ela havia saído para trabalhar e deixou a garota em casa. Quando retornou, Sara não estava mais na residência e não deixou nenhum bilhete ou indicação de onde estaria. 

Preocupada com a filha, a mãe procurou a Delegacia da Defesa da Mulher (DDM) para comunicar o fato. Imediatamente, foi iniciada uma investigação, paralela às buscas pela garota. Logo de cara, os investigadores desconfiaram de Gabriel, que estava na casa quando a mãe saiu para trabalhar. 

Após um rápido interrogatório, o suspeito acabou confessando o crime. Também contou que havia “desovado” o corpo em uma região rural próximo a Jacuba, entre Itapira e Mogi Guaçu, levando os policiais até o local. Homens da Defesa Civil foram acionados e auxiliaram nas buscas. Eles não demoraram para achar o corpo da menina em um canavial, jogado em uma cova rasa, cavada pelo próprio homicida, e envolto em um saco plástico.  

FACADAS
A vítima também estava amarrada e apresentava duas perfurações por objeto pontiagudo no tórax. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Científica também acompanharam os trabalhos por investigadores e resgatistas da Defesa Civil. 

O corpo da adolescente foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) de Mogi Guaçu. Fontes da Polícia dizem que a hipótese de abuso sexual não está descartada, mas ainda não nenhuma evidência desse tipo de crime..

Gabriel, que acompanhou a remoção do corpo de dentro da viatura, demonstrou uma frieza enorme diante da tragédia. Ele já prestou depoimento à Polícia e já foi indiciado por homicídio qualificado e deve permanecer preso na Unidade de Detenção, Triagem e Encaminhamento (UDTE), ficando à disposição da Justiça. O carro pertencente a ele, um Ford Del Rey, também foi apreendido. 

O corpo da adolescente, que estava numa cova rasa, foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) de Mogi Guaçu (Foto: Flávio Barbieri)

Nenhum comentário:

Deixe um comentário

Scroll to top