A Comarca

Apesar da greve, vacinação contra Influenza, Sarampo e Covid-19 é mantida em Mogi Mirim

Fernando Gasparini

O movimento grevista deflagrado por servidores municipais de Mogi Mirim, no último dia 29 de março, não impediu o início da campanha de vacinação contra a gripe comum (Influenza), Sarampo e Covid-19. Conforme apurou A COMARCA, o único empecilho, na visão das autoridades sanitárias da cidade, é a impossibilidade de se realizar um atendimento estendido, quando isso se torna necessário. Isso porque as unidades de saúde operam com cerca de 30% dos servidores, em obediência a uma determinação legal.

Segundo análise do comando da vacinação, existem, por exemplo, pessoas com idade a partir de 60 anos que ainda estão no mercado de trabalho e acabam impossibilitadas de tomar a vacina nos horários convencionais. A COMARCA visitou algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) na terça-feira, 5, e constatou uma boa procura por parte do público-alvo.

O pontapé inicial da campanha na cidade foi dado, na verdade, na semana anterior, quando foram vacinados idosos com idade a partir de 80 anos. A orientação é para que seja fornecida também dose de reforço da Covid em pessoas cuja última aplicação tenha ocorrido há pelo menos 120 dias. A restrição que existia anteriormente impedindo a vacinação da gripe e da Covid antes de um intervalo de 15 dias não existe mais, segundo informou o comando da vacinação. Ou seja, as duas vacinas podem ser aplicadas no mesmo dia.

Vacinação começa pelo público mais idoso e atinge também profissionais da área da saúde (Foto: Divulgação)

A vacinação de pessoas com idade a partir de 60 anos e profissionais da área de Saúde teve início na segunda-feira, 4. Para os profissionais da Saúde, existe a recomendação de tomar também a vacina contra o Sarampo. Ela será aplicada também em crianças com idade entre 6 meses e menos de 5 anos, já convocadas para tomar a vacina da Influenza a partir de 30 de abril, quando termina o prazo de atendimento para o grupo atual.

Com base em projeções da Secretaria de Estado da Saúde, cerca 38 mil pessoas deverão ser vacinadas em Mogi Mirim. Nos dois anos anteriores, devido à pandemia, a cobertura vacinal contra a Influenza acabou sendo menor, proporcionalmente, em todo o Brasil. A meta fixada pelo Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% da população estimada.

Imunização
A vacina da Influenza é trivalente, ou seja, imuniza contra o vírus H1N1, a cepa B e o H3N2, do subtipo Darwin, aquela mesma cepa que, no final do ano passado, se transformou em uma epidemia em diversos estados, num momento preocupante no combate à Covid.

A partir de 2 de maio, serão incluídas gestantes e puérperas (mulheres que passaram por trabalho de parto nos últimos 45 dias). Até junho, outras categorias poderão ser incluídas e, caso a procura fique muito abaixo do esperado, o Governo Federal pode até mesmo liberar a aplicação para a população em geral, como ocorreu no ano passado.

Apesar das dificuldades causadas pela greve dos servidores na cidade, Vivian Delalibera Custódio, gerente do departamento de Vigilância em Saúde (VS), informou que a disposição da Administração Municipal é cuidar para que a campanha de vacinação não seja prejudicada. “Estamos trabalhando para atingir uma cobertura vacinal o mais próximo possível dentro daquilo que foi fixado pelo Ministério da Saúde”, registrou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
EDITORIAL

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp