A Comarca

Greve afeta vacinação em postos da zona Norte

Fernando Gasparini

Os efeitos da greve dos servidores públicos municipais de Mogi Mirim são cada vez mais sentidos pela população, à medida que o movimento grevista e a Prefeitura não chegam a um acordo.
A COMARCA recebeu, na manhã desta terça-feira, 12, reclamações de moradores da região Norte da cidade de que as vacinas contra a gripe e a Covid-19 não estavam sendo aplicadas na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Santa Clara, a maior do município em número de atendimentos.

A reportagem esteve no local e confirmou que as vacinas não estavam sendo aplicadas. A enfermeira Edna Aparecida Pinafi, que respondia pelos trabalhos, informou que as cinco enfermeiras que fazem a vacinação rotineira aderiram à paralisação.

“Estamos com a maior parte do atendimento sendo feito com dificuldades, mas a vacina não tem como ser feita por causa da ausência destas profissionais. Determinei que fossem anotados nomes das pessoas que vieram procurar a vacina, para que sejam convocadas tão logo a situação se normalize”, relatou.

As atendentes que trabalham no balcão de atendimento informaram que, no final da manhã, dezenas de nomes foram anotados, obedecendo à recomendação feita pela chefia do plantão.

CONTRARIEDADE
Do lado de fora, A COMARCA conversou com a aposentada Tercília Dias Ferraz Marcondes, de 103 anos. Ela expressou sua contrariedade ao deixar o local sem receber a vacina. “Eu já tomei três doses [da vacina contra a Covid], vim tomar a quarta, mas infelizmente vou embora sem”, disse.

Dona Tercília estava acompanhada pelo filho, Gilberto Dias Ferraz, 77 anos, e pela nora, Marlene Topã Ferraz, 73 anos, todos moradores no Jardim Flamboyant. “Como tínhamos que trazê-la, nos programamos para também nos vacinarmos”, contou Marlene, frustrada.

Gilberto disse que, antes de se dirigir à UBS do Santa Clara, passou pela UBS do Jardim Paulista, localizada a cerca de um quilômetro dali. Ele disse que recebeu a informação de que pessoas que têm registro em outra unidade de saúde não seriam vacinadas por causa das limitações causadas pela greve dos servidores. “É uma situação delicada essa. É claro que a gente concorda com o direito das pessoas defenderem o que acham justo para si. Mas, por outro lado, não podemos perder de vista que o direito de uma pessoa termina onde começa o da outra”, completou.

Na UBS do Jardim Paulista, uma atendente informou que, pelos mesmos motivos da UBS do Santa Clara, a vacinação, inclusive a rotineira, está prejudicada naquela unidade. Um aviso colado na entrada informava que na quinta-feira, dia 14, serão fornecidas, a partir do início do atendimento no período da manhã, 30 senhas para aplicação de vacina contra a Covid, dirigidas para pessoas com idade entre 30 e 60 anos.

Dona Tercília foi conduzida pelo filho Gilberto e pela nora Marlene: planos frustrados (Foto: A COMARCA)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp