A Comarca

Joice Hasselmann ainda acredita em candidato da terceira via

Fernando Gasparini

Em sua passagem por Mogi Mirim, na última quinta-feira, 12, a deputada federal Joice Hasselmann (PSDB) concedeu, ao final da calorosa recepção que recebeu na Estação Educação, uma entrevista exclusiva para A COMARCA.

Ela abordou temas da atual conjuntura política e, dentre outros assuntos, falou a respeito da sucessão presidencial, expondo sua visão de que ainda é possível a escolha do chamado candidato da terceira via, em contraposição a Jair Bolsonaro (PL) e Lula da Silva (PT), atuais líderes das intenções de votos, de acordo com as pesquisas.

Segundo seu entendimento, o mês de maio será decisivo para que essa costura torne viável o lançamento de um nome, revelando que PSDB e MDB têm conversado para lançar uma chapa, apontando obstáculos já conhecidos como o interesse pessoal de alguns atores em detrimento ao senso coletivo e a própria vaidade pessoal na escolha de quem seria cabeça de chapa e o vice
de uma eventual coligação.

Apesar disso, expressou sua opinião de que a formação de um consenso ainda é possível. “Não diria que estejam sepultadas [as chances do anúncio de um nome], mas está muito difícil nesse momento. Nossa bancada tem conversado muito a respeito deste assunto com o diretório nacional do partido em busca de um entendimento comum”, apontou.

Joice reclama também da falta de foco. “Existem diversos nomes se lançando, mas, na verdade, até o presente momento, não tem nome nenhum. Precisamos de uma definição logo e é isso que temos cobrado”, afirmou.

Em meio a esse estado de indefinição, a parlamentar defendeu o candidato de seu partido, o ex-governador de São Paulo, João Doria, afirmando que existe um entendimento entre PSDB e MDB para o lançamento de uma candidatura única e que o problema reside exatamente na definição de quem encabeçaria a chapa.

“Tem que existir uma posição única entre PSDB e MDB, uma posição que indique um caminho. Eles são cachorros grandes, têm que se resolver. A Simone vice [senadora Simone Tebet, do MDB, que colocou seu nome para apreciação do partido na disputa presidencial] e o Doria candidato a presidente seria uma chapa maravilhosa, na qual eu votaria cantando Salmos”, registrou.

Adiantou ainda que, no próximo dia 18, os dois partidos irão se sentar para decidir questões importantes, como por exemplo, uma pesquisa para aferir quais as chances reais dos nomes veiculados até o presente momento. “Temos que decidir esse mês e eu vou trabalhar por esse nome, seja ele quem for”, reafirmou.

Joice Hasselmann: “A
Simone vice e o Doria
candidato a presidente seria
uma chapa maravilhosa, na
qual eu votaria cantando
Salmos” (Foto: Flávio Magalhães/A COMARCA)

REJEIÇÃO
Hasselmann fez uma análise da forma como enxerga o posicionamento dos dois candidatos com maior intenção de votos até agora, Lula e Bolsonaro. Faz questão de destacar que as pesquisas exibidas até agora demonstram também que metade dos eleitores rejeitam tanto o nome de Lula, quanto o de Bolsonaro.

“Esse fato de 50% afirmar que não vota em nenhum dos dois reforça a percepção de que uma parte expressiva dos eleitores não enxerga ainda nenhuma outra opção, de que não vota em fulano, sicrano ou beltrano. A partir do momento em que a gente tiver um candidato definido, as pessoas ‘nem-nem’ como eu [quem não escolhe nem Lula nem Bolsonaro] irão convergir naturalmente para a terceira via”, avaliou.

“Além do mais, devemos levar em consideração o fato de que, neste momento, a grande maioria das pessoas tem outras preocupações mais urgentes, como a escalada da inflação, a explosão do preço do gás, da gasolina e o desemprego. A rigor mesmo, a maioria vai entrar no jogo mais lá na frente, quando a campanha tiver esquentado”, completou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp