A Comarca

Alunas do curso de Confeitaria do Fundo Social sonham com empreendedorismo

Terminou na semana passada o curso de confeitaria “Fabrique e venda – Cupcakes e Bolos Caseiros”, promovido pelo Fundo Social de Mogi Mirim em parceria com o Senai, o Sebrae e o Governo do Estado de São Paulo.

Foram sete dias de aulas teóricas e práticas realizadas na cozinha experimental do Centro Municipal de Apoio e Atendimento Especializado (Cemaae) Rachel Ramazzini Mariotoni. No total, 18 alunos participaram do curso, que teve por objetivo qualificar pessoas em situação de vulnerabilidade social, promovendo a geração de renda, a qualidade de vida, bem como a autonomia, a autovalorização e a socialização.

“Em nosso Plano de Trabalho temos como prioridade o público em vulnerabilidade social. Geralmente, são pessoas desempregadas, que estão em casa paradas, sem uma atividade econômica. A ideia do curso é qualificar essas pessoas e, mesmo que a longo prazo, torná-las economicamente ativas”, ressaltou a presidente do Fundo Social, Suzana Calefi.

Este é o caso da aluna Priscila Simões Marques Machado. Ela participou do curso de fabricação de pães doces e semidoces, realizado em abril, e agora está empenhada na produção dos bolos caseiros e cupcakes. “Assim que eu finalizei o primeiro curso, já comecei a fabricar e a vender. Agora, com mais este curso, pretendo ampliar as minhas vendas e tornar o meu negócio ainda mais profissional”, comentou.

Priscila sonha em ter sua própria padaria e acredita que com a base teórica recebida no curso – não só sobre a fabricação, mas também sobre empreendedorismo – chegará longe. “Este curso foi essencial para abrir os meus olhos e me fazer acreditar que é possível. Estou muito feliz com o que aprendi e com a minha nova profissão”, disse a aluna, que até então exercia a função de manicure.

Foram sete dias de aulas teóricas e práticas realizadas na cozinha experimental do Cemaae Rachel Ramazzini Mariotoni (Foto: Divulgação)

MAIS CONHECIMENTO
Outros alunos já trabalham no ramo alimentício e decidiram fazer o curso para aprimorar os conhecimentos. Este é o caso da balconista de padaria, Débora Diogo, e da chef de cozinha, Daiane Melo.

“Um vizinho me indicou o curso e agarrei essa oportunidade. Vai agregar muito no meu trabalho e já dá pra pensar, quem sabe em um futuro próximo, abrir um negócio meu, para tocar com a família, como era o sonho do meu pai”, relatou Débora.

“Eu decidi fazer o curso porque conheço a credibilidade do Senai e do Sebrae, que são parceiros da Prefeitura neste curso. É uma ótima oportunidade gratuita para quem quer aprender. Eu acredito que tudo evolui e conhecimento nunca é demais”, comentou a chef Daiane.

Curso, que teve por objetivo qualificar pessoas promovendo a geração de renda, a qualidade de vida, bem como a autonomia, a autovalorização e a socialização (Foto: Divulgação)

SOCIALIZAÇÃO
Já a aposentada Maria Inês Guarnieri decidiu participar do curso para socializar e aprender algo novo. “Eu sempre trabalhei fora, desde os meus 14 anos. O que eu sei de cozinha, aprendi sozinha… Então, eu vi neste curso, agora que eu aposentei, uma oportunidade de aprender novas técnicas para poder criar as guloseimas para meus sobrinhos e netos, além é claro, de socializar e fazer novas amizades”, contou Maria Inês.

Em breve, o Fundo Social irá oferecer mais um curso de confeitaria. É o “Fabrique e Venda – Sobremesas e Bolos no Pote”, que já tem data marcada, de 23 de maio a 1 de junho, para formar novos empreendedores.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
EDITORIAL

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp