A Comarca

Com baixa adesão, vacinação contra gripe e sarampo é prorrogada

A Secretaria de Estado da Saúde prorrogou a campanha de vacinação contra a gripe e o sarampo até o dia 24 de junho. Para receber as doses, o público–alvo da imunização deve procurar os postos de vacinação nos municípios. Apenas 34,8% do público-alvo foi imunizado contra a gripe. A menor cobertura vacinal está entre as crianças, gestantes e puérperas.

Podem se vacinar contra o vírus da Influenza pessoas acima de 60 anos, profissionais da Saúde, gestantes e puérperas, crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade, professores, indígenas, pessoas com deficiência e comorbidades, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros urbanos e de longo curso, trabalhadores portuários, população privada de liberdade, e adolescentes e jovens sob medida socioeducativa.

“É fundamental que a população busque os postos de imunização para se vacinar. A baixa cobertura contra a gripe nas crianças, gestantes e puérperas preocupa, principalmente neste momento de sazonalidade do vírus da gripe. Temos neste momento hospitais com uma alta de atendimento do público infantil e é fundamental que os pais e responsáveis levem as crianças para se vacinar, buscando evitar internações e casos graves da doença”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

SARAMPO
O sarampo é uma doença de fácil transmissão, uma pessoa infectada pode transmitir para até 18 pessoas sem proteção contra a doença. A forma mais eficaz de proteção é a vacinação. A campanha é voltada aos profissionais da saúde e crianças de 6 meses a menores de 5 anos. Entre as crianças, a cobertura vacinal contra a doença atingiu apenas 31,3%, a meta é vacinar 95% desta faixa etária (público-alvo de 2,6 milhões).

As vacinas contra o sarampo e o vírus Influenza podem ser tomadas simultaneamente, exceto para as pessoas que foram diagnósticas com Covid-19. Neste caso, a recomendação é que sejam vacinadas imediatamente após o término do período do isolamento. Além disso, para as crianças entre 5 a 11 anos é necessário um intervalo de 15 dias entre as vacinas destinadas à campanha e contra o coronavírus.

As vacinas que fazem parte de Calendário de Vacinação estão disponíveis rotineiramente nas unidades de saúde. A conscientização dos pais e responsáveis sobre a importância da imunização de rotina e não apenas em momento epidêmico ou pandêmico, como o atual, é fundamental para proteger as crianças. A orientação aos menores sobre a higienização correta das mãos e cuidados de prevenção também deve ser replicada em conjunto com exemplo a partir dos adultos da sua convivência.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
EDITORIAL

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp