A Comarca

Farmácia Gratidão supera expectativas nos primeiros dias de funcionamento

Começou a operar na semana passada, mais precisamente em 30 de maio, em uma sala montada dentro das instalações das Faculdades Santa Lúcia, na Rua Ulhôa Cintra, a Farmácia Gratidão, uma iniciativa sancionada e encampada pelo prefeito Paulo Silva (PDT) a partir de um projeto de Lei formulado pela vereadora Lúcia Tenório (CDD) e aprovado ainda em junho do ano passado por seus pares da Câmara Municipal.

Basicamente, o projeto consiste em uma iniciativa na qual as pessoas podem destinar medicamentos que possuam em casa e que não façam mais uso deles, para que sejam separados e agrupados conforme sua indicação, descartando-se aqueles com data de validade vencida, a serem distribuídos para a população. A entrega obedece ainda algumas regras como, por exemplo, a apresentação da receita médica (da rede pública ou particular), ser morador da cidade e apresentar documento com foto.

À frente do processo de montagem das instalações, triagem e no atendimento às pessoas que procuram pelo atendimento, a farmacêutica Adriele Durante, contratada pela Prefeitura como responsável técnica pelo funcionamento da farmácia, informou que o movimento inicial surpreendeu às melhores expectativas. “Atendemos em média pouco mais de 50 pessoas por dia desde a abertura da farmácia”, afirmou.

Adriele conta que a farmácia está atualmente abastecida com medicamentos indicados para casos mais comuns como hipertensão, colesterol, diabetes, antitérmicos, doenças respiratórias e até psicotrópicos. Dentro do planejamento desenvolvido pela Prefeitura e incentivado pela autora do projeto, a farmácia se posiciona como uma alternativa importante para suprir a falta de alguns medicamentos na rede pública.

“A pandemia fez com que a fabricação e distribuição de medicamentos fosse comprometida na medida em que os laboratórios concentraram esforços na produção de medicamentos para atender a demanda de hospitais por insumos, como por exemplo sedativos, usados em larga escala durante o processo de internação de pacientes. O resultado disso foi um desarranjo na distribuição de medicamentos que afeta ainda hoje, de forma mais visível, as farmácias das Unidades Básicas de Saúde (UBS)”, explicou a responsável técnica.

No momento em que a reportagem de A COMARCA visitou as instalações, Ester Bridi, moradora no Jardim Califórnia, foi procurar um medicamento receitado na UBS da Santa Cruz para seu irmão Enrique e que estava em falta. Apesar de não ter encontrado na dosagem prescrita o medicamento recomendado, a moça elogiou a iniciativa. “Acho que vai ajudar muito as pessoas, principalmente aquelas de menor renda”, considerou.

A farmacêutica responsável Adriele Durante acredita que movimento irá crescer ainda mais nos próximos dias (Foto: A COMARCA)

SINERGIA
Adriele avalia que, na medida em que a farmácia for se tornando mais conhecida do público, a tendência é a de que tanto o recebimento de medicamentos (que já ocorre por pessoas físicas e jurídicas), quanto sua distribuição, sejam ainda mais frequentes. Ela destaca que a sinergia criada com a rede municipal de saúde vai potencializar essa demanda, imaginando que serão necessárias medidas para garantir o bom atendimento, como o reforço no atendimento.

A COMARCA quis saber dela se a farmácia vai operar com medicamentos de alto custo. Ela informou que, em princípio, a proposta é priorizar o atendimento de casos mais comuns de atendimento, o que, segundo Adriele, não impede o recebimento deste tipo de medicação, que poderá ser distribuída em condições especiais.

GRATIDÃO
A Doutora Lúcia Tenório, autora do projeto que viabilizou a criação da Farmácia dentro da estrutura de atendimento da Prefeitura e grande entusiasta desta iniciativa, disse que estava muito feliz com os primeiros resultados. “Não imaginava que ia ter todo esse movimento logo na primeira semana”, comentou.

Lúcia aproveitou para dirigir agradecimentos às muitas pessoas que colaboraram para que o projeto saísse do papel, autoridades diversas, empresas, doadores anônimos e também aos mantenedores da Faculdade Santa Lúcia por acolher o projeto em suas dependências. Ao finalizar, Doutora Lúcia acrescentou que o principal objetivo continua sendo o de oferecer uma alternativa viável de atendimento, sobretudo às pessoas de baixa renda, embora o projeto tenha sido concebido sob o viés da universalização do atendimento, ou seja, desde que obedecidas as condições previstas, a iniciativa beneficia a todas as pessoas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
EDITORIAL
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
EDITORIAL

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp