A Comarca

CCI terá oficina de culinária para crianças e adolescentes

O Centro de Convivência Infantil (CCI) já tem tudo pronto para colocar em funcionamento, ainda neste segundo semestre, um ambicioso projeto. O objetivo é, através da culinária, apresentar uma atividade lúdica e ao mesmo tempo bastante prática para crianças e adolescentes atendidos pela entidade.

Pauloroberto Silva, presidente emérito do CCI, revela que o projeto foi formulado de maneira a permitir também a capacitação dos pais e responsáveis das crianças para que possam se sentir motivados a obterem, por intermédio do aprendizado a ser oferecido, oportunidade de empreender, comercializando gêneros alimentícios.

Segundo Silva, esse projeto vem passando por um período de maturação há pelo menos um ano e deverá ser o primeiro de uma série de outras iniciativas, também planejadas para oferecer contato com atividades potencialmente inclusivas no processo de formação destas crianças e adolescentes. A organização acolhe atualmente 188 delas no contraturno das escolas.

A COMARCA visitou as instalações da cozinha a convite da direção do CCI. Além de Pauloroberto Silva, a coordenadora geral, Rosimary Munhoz, também acompanhou a reportagem. No local escolhido para acomodar o novo projeto, chama a atenção a modernidade do ambiente, impressão reforçada por um conjunto de sete fogões aquecidos por indução. Ou seja, não há utilização de gás, apenas de energia elétrica, que, no CCI, é totalmente gerada com o uso de placas fotovoltaicas, desde 2018.

Destaque ainda para as mais de 40 panelas, de variados formatos, todas em aço inoxidável e fundo triplo, adquiridas junto à empresa Tramontina, graças a uma parceria envolvendo a Renovias e também um mogimiriano radicado há muitos anos em São Paulo, Maurício Porto, conselheiro com destacada atuação junto à representação estadual da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel. A associação cuidou da doação de todos os móveis que compõem o cenário da oficina de culinária.

A reportagem de A COMARCA conheceu as instalações da cozinha, acompanhada de Rosimary Munhoz e Pauloroberto Silva (Foto: A COMARCA)

VOLUNTÁRIO
Todo o conjunto de equipamentos foi formulado para oferecer o que existe de mais avançado em termos de segurança, o que não impediu a direção do CCI de buscar ajuda para equipar todos os fogões com um dispositivo de madeira, que envolve as panelas, evitando que eles deslizem em cima do fogão. Esse equipamento foi confeccionado e doado pelo marceneiro Geraldo Caetano Filho.

Para capacitar professores e funcionários do CCI a levarem adiante o projeto, a organização vai contar com a expertise de Luiz Francatto, mestre em gastronomia e professor aposentado pelo Senac de Mogi Guaçu, que se prontificou a trabalhar de forma voluntária para contribuir com o sucesso desta iniciativa.

A coordenadora Rosimary revela que crianças com idade a partir de sete anos poderão utilizar a oficina de culinária para ampliar e adquirir novos conhecimentos e habilidades. “Esse tipo de atividade interage com diversas áreas de conhecimento, como leitura, escrita e até matemática”, ponderou.

Observou ainda que o contato direto com o processamento de diversos tipos de alimento favorece um entendimento mais objetivo destas crianças e adolescentes em valorizar a atividade culinária e a reforçar conceitos que já são praticados no dia a dia dentro da organização, como, por exemplo, não desperdiçar comida na hora das refeições.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp