A Comarca

Projeto socioesportivo trabalha o futsal em Martim e no Planalto

Diego Ortiz

O técnico Everton Bombarda realiza, desde maio, um projeto de aulas de futsal nas quadras do distrito de Martim Francisco e no bairro do Jardim Planalto.

Em cada local, há cerca de 55 alunos com turmas mistas entre meninos e meninas de 8 a 17 anos, em um total aproximado de 110. O resultado inicial do projeto socioesportivo empolga Everton. “Ótimo, superou as expectativas, estou surpreso com o tanto de criança e a tendência é aumentar”, prevê.

As aulas em Martim ocorrem às terças e quintas-feiras das 8h às 11h e das 14h às 17h. No Planalto, às quartas e sextas-feiras, das 8h às 11h e 14h às 17h30. As turmas são montadas de acordo com o contraturno escolar: os alunos que estudam pela manhã treinam à tarde e vice-versa.

O aspecto social é valorizado. “Você usa o contraturno escolar, esporte com o social. Sempre tem a roda de conversa, que a gente dá uma conversada, antes e depois. Às vezes, alguma necessidade, algum problema, preocupação, não para resolver, mas para tentar encaminhar, tentar dar uma solução também”, conta Bombarda, que também acaba conversando com pais que levam os filhos e aguardam terminar o treinamento.

Aulas de futebol de salão na quadra do bairro do Jardim Planalto são promovidas às quartas e sextas-feiras, em dois períodos: das 8h às 11h e 14h às 17h30; turmas são montadas de acordo com contraturno escolar (Foto: Arquivo Pessoal)

Esportivamente, Bombarda está contente com o nível técnico da garotada, que realiza atividades físicas, treinos de fundamentos como passes e finalizações, e coletivos. “Tem talentos bons, vários com qualidade e daqui uns 2, 3 anos, teremos vários jogadores jogando futebol de salão e futebol de campo no Amador e Campeonato Rural”, projeta.

A ideia é aprimorar os alunos e colocá-los em campeonatos, com um time de cada local, além de realizar amistosos com intercâmbio entre as equipes das duas localidades.

Questionado sobre os sonhos, Bombarda respondeu: “O sonho primeiramente é formar o cidadão, o cidadão de bem, depois a gente tenta encaminhar para algum clube profissional, mas a ideia mesmo, primeiramente, é o social”.

Os interessados em participar devem procurar os locais de aula.

IDEIA
A atividade foi inserida no projeto Esporte Futuro, da Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer (Sejel), mas teve como idealizador o vereador Dirceu Paulino, ex-secretário de Esportes de Mogi Mirim, ainda antes das últimas eleições municipais. “A ideia foi do Dirceu na campanha. Quando começamos a fazer campanha, o Dirceu falou: precisa fazer alguma coisa na parte esportiva de Martim Francisco, está muito parado. E depois, quando o Paulo [Silva, prefeito] assumiu, teve a pandemia, que estava segurando, não poderia ter, fomos conversando, ficamos 2021 conversando, 2022 e depois [Dirceu] deu a ideia, o Paulo também gostou e o negócio está bom”, celebra Everton.

O objetivo foi levar o esporte a locais mais distantes do Centro e abrange duas localidades próximas uma da outra. “A ideia era levar o professor pra lá, não trazer os alunos. Porque quando o Dirceu foi secretário, ele teve um projeto de trazer as crianças pro ginásio do Tucurão, da Fatec, ginásio da Vila, pra fazer vôlei, futsal e ginástica. E agora a realidade é outra, é levar o professor lá”, explica.

Treinos no distrito de Martim Francisco ocorrem às terças e quintas-feiras das 8h às 11h e 14h às 17h; cada local tem cerca de 55 alunos: “Superou as expectativas e a tendência é aumentar”, projeta Bombarda (Foto: Arquivo Pessoal)

IDENTIFICAÇÃO
O nome de Bombarda foi pensado pela proximidade do técnico com Martim Francisco, onde já atuou como professor da escola municipal Bráulio José Valentim, teve experiência como técnico do clube do distrito e tem vários amigos na região. “Como a proximidade minha lá é grande e ele [Dirceu] viu na campanha a necessidade também, ele teve a ideia e depois correu atrás, conversou com o prefeito, com o Wilians [Mendes, secretário de Esportes] e implantamos o projeto lá”, relata.

Bombarda já era um frequentador assíduo do distrito. “Eu gosto de Martim Francisco, é um ambiente que é bom pra mim, vou lá umas duas, três vezes por semana. Antes de estar com o projeto, eu já ia. Eu uni o útil ao agradável. Eu gosto do lugar e levar a prática esportiva lá pra mim foi muito bom também”, comenta o técnico, que vai ao distrito na casa de amigos do futebol e passear em bares. “Agora vou para dar treino e, depois, à noite, tem dia que fico por lá, tem dia que eu vou embora e volto à noite lá”, revela, contando se sentir em casa tanto em Martim quanto no Planalto.

Técnico com o maior número de títulos na Primeira Divisão do Campeonato Amador, sete, todos pela Tucurense, Bombarda já foi vice do Rural pelo Martim Francisco em 2008. Em 2022, foi vice dos aspirantes pela Aparecidinha.

Ex-técnico do Furacão do Distrito e ex-professor de Educação Física da escola Bráulio José Valentim, Bombarda, que já era frequentador assíduo de Martim Francisco, agora comanda projeto socioesportivo no local (Foto: Arquivo Pessoal)

Antes do trabalho em Martim, Bombarda estava na parte administrativa da Sejel. Chegou a ficar um período curto na Subprefeitura de Martim Francisco, em maio, para organizar o projeto de futsal. Pela Secretaria de Educação, pela qual lecionava Educação Física na escola Regina Maria Tucci de Campos, na Santa Cruz, Bombarda já havia trabalhado como professor substituto na Bráulio José Valentim, localizada em Martim, em 2017. Agora, está reencontrando alunos nos treinos. “Tem uns alunos que eu já dei aula na escola, uns alunos que eu sou amigo da família”, pontua.

Na gestão Paulo Silva, Bombarda deixou a Secretaria da Educação e retornou ao Esporte, reencontrando Martim, agora na pasta esportiva.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp