A Comarca

TRE julga improcedente pedido de cassação contra Sônia Módena

Flávio Magalhães

Em julgamento realizado na tarde desta segunda-feira, 25, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo julgou improcedente o pedido de cassação formulado contra a vereadora Sônia Módena (PSD), presidente da Câmara Municipal, por infidelidade partidária.

A ação havia sido ajuizada em 30 de maio pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) em São Paulo, órgão vinculado ao Ministério Público Federal (MPF), após Sônia deixar o Cidadania, partido pelo qual foi eleita em 2020, para se filiar ao PSD.

O relator do caso no TRE, juiz Marcelo Vieira de Campos, reconheceu que a mudança de partido se deu dentro das normas previstas pela legislação vigente, em função do Cidadania ter expresso, por escrito, anuência com a desfiliação da vereadora.

A COMARCA obteve acesso à carta de anuência do Cidadania, datada de 30 de março e assinada pelo presidente municipal do partido, Clodomar Tavares. Nela, consta que “em função do não interesse do partido na permanência da vereadora”, é autorizada “de forma irretratável e irrevogável” sua desfiliação partidária, sem perda de mandato, bem como sua filiação em outro partido, sem representar ato de infidelidade partidária.

Além do presidente, outros oito membros do diretório mogimiriano assinaram a carta de anuência, entre eles o ex-vereador Gerson Rossi Júnior, primeiro suplente do Cidadania na Câmara, e a atual vereadora Lúcia Tenório.

A carta de anuência foi o principal argumento da defesa de Sônia, que se baseou na Emenda Constitucional 111/2021. Os demais juízes do TRE acompanharam o voto do relator e decisão foi unânime em favor da vereadora.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Veja mais
Confira mais notícias
Edições semanais
Capa Nelson Theodoro
Capa Pacóla
Capa Nelson Theodoro

Siga a comarca nas redes sociais

site_mobile_menu

Siga A Comarca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp